)

maio 22 2013

Documentos secretos sobre Ovnis serão abertos em junho, diz Ministério da Defesa

Decisão foi tomada após reunião entre ministério e comissão de ovniólogos.

Registros sobre luzes incomuns nos anos 1970 serão disponibilizados.

O Ministério da Defesa vai liberar para consulta pública em junho documentos classificados como “secretos” ou “ultrasecretos” que envolvem Objetos Voadores Não Identificados (Ovnis), informou ao reporter do G1, o coronel Alexandre Spengler, coordenador do Serviço de Informação ao Cidadão da pasta.

Segundo ele, entre os documentos que serão disponibilizados estão os da Operação Prato, da Força Aérea Brasileira, classificados como “ultrassecretos”. A operação, realizada entre 1977 e 1978, verificou a ocorrência de luzes na região da cidade de Colares, no Pará. Entre os documentos, há relatos de pilotos da FAB sobre as luzes e fotos de radar.

Reunião no Ministério da Defesa entre militares e integrantes de comissões de ufólogos

Reunião no Ministério da Defesa entre militares e integrantes de comissões de ovniólogos (Foto: Divulgação / Ministério da Defesa)

A decisão de divulgar os documentos foi tomada após reunião realizada nesta quinta-feira (18) entre a representantes do Ministério da Defesa e integrantes da Comissão Brasileira de Ufólogos. “É a primeira vez que um Ministério da Defesa de um país senta-se à mesa com ufólogos”, afirmou Ademar Gevaerd, presidente da Comissão Brasileira de Ufólogos.

Segundo Gevaerd, cerca de mil pessoas da região de Colares foram afetadas pelas luzes, das quais 400 tiveram que passar por tratamento e quatro morreram.

“Se efetivamente, a Defesa entregar todos os seus arquivos, nós vamos ter ainda mais subsídios para conhecer esse fenômeno e mostrar à sociedade o que aconteceu”, disse.

Acesso a Informação, um Direito um Dever

De acordo com o coronel Alexandre Spengler, desde a regulamentação da Lei de Acesso à Informação, em maio de 2012, a Defesa recebeu 107 pedidos de entidades ligadas à ufologia para a divulgação de documentos – 65 para a Força Aérea Brasileira, 26 para o Exército, nove para a Marinha, cinco para a adminisitração central do ministério e dois para a Escola Superior de Guerra.

Desses 107, 26 foram atendidos e o restante foi indeferido porque se alegou que já estavam disponíveis no Arquivo Nacional, porque não existiam ou porque eram considerados secretos.

A Lei de Acesso à Informação prevê que todos os órgãos revisem seus documentos secretos para verificar a possibilidade de abri-los até junho de 2014. “A Defesa vai se antecipar e abrir documentos secretos em junho deste ano”, disse Spengler.

Segundo o coronel, o Exército afirmou que não tem documentos sobre o evento conhecido como “ET de Varginha”, em 1996 em Minas Gerais, porque se extraviaram ou foram destruídos, como é previsto em lei.

Fonte: G1.com
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe um comentário