)

«

»

jul 14 2013

Projeto ANTI-gravidade e o B-2 MHD (Bombardeiro)

Projeto B2 – Anti-Gravidade.
(Clique na Imagem para Amplia-la)

Aposentado da Força Aérea o Coronel Donald Ware alegou que um general de três estrelas, lhe revelou que “o novo Lockheed-Martin ônibus espacial (Plano Espacial Nacional) e o B-2 (bombardeiro) ambos possuem  sistemas eletro-gravitacional a bordo” e que “este explica porque o nosso 21 Northrop B-2s custariam cerca de um bilhão de dólares cada um. ” (*)

(*) Na realidade, este coronel nunca disse isso publicamente. É apenas o que teria se referido o  “Dr. Wolf”, que relatou que teve uma conversa informal com este coronel e este lhe revelou tal fato.

Também é digno de nota que o Relatório de Aquisição Selecionado (com que legisladores dos Estados Unidos acompanham o custo de grandes projetos de armas de guerra dos EUA) avaliou o programa B-2 num total de US $ 45 bilhões e que seriam construídas 21 aeronaves, que sairia a 2.140 milhões dólares cada uma, o dobro do custo como indicado acima.

Após levantar voo de modo tradicional, B-2 tem a opção de mudar para o modo de anti-gravidade. Foi dito também que com o uso desta nova tecnologia a anti-gravitacional, o B-2 poderia voar ao redor do mundo sem reabastecimento.

A aeronave F-117 também possuiria um sistema de propulsão híbrido e tecnologias de sustentação que podem ser possíveis pelo uso de sistemas eletro-gravitacionais.  Através do uso de sistemas convencionais de empuxo para decolagens e aterrissagens na frente do público, uma mudança para o modo anti-gravitacional permitiria um alcance de cruzeiro estendido, manobrabilidade ultra-rápida e, para proteger a fuselagem, invisibilidade (com o campo anti-gravitacional local dobrando a luz ao redor da aeronave).

Projeto B2 – Anti-Gravidade.
(Clique na Imagem para Amplia-la)

Como se controla os sistemas anti-gravidade?

É conhecido já algum tempo pelos tecnólogos “Black World” que a chave do controle gravitacional seja o Elemento 115 da Tabela Periódica, o Ununpentio.  O atributo mais importante deste elemento pesado e estável é o da gravidade.  Uma onda é tão abundante que na verdade ultrapassa o perímetro do átomo.  Estes elementos pesados e estáveis literalmente possuem sua própria gravidade; um campo ao seu redor, além do campo gravitacional B nativo em todas as matérias.  Através do controle da onda gravitacional A, você pode controlar a gravidade.  Alimentando o reator de uma aeronave com Ununpentio, você consegue um avião capaz de usar propulsão anti-gravitacional.

O custo:

O custo unitário das aeronaves sai entre 800 milhões a 1,3 bilhões de dólares, dependendo da fonte.  O custo unitário indicado pela Força Aérea dos EUA é de aproximadamente 1,157 bilhões de dólares (base de custo de 1998). Porém, é altamente inapropriado discutir o custo unitário de uma aeronave B-2, porque um pequeno número foi construído. 

É razoável porém discutir o custo unitário de um F-104 (onde forma construídos 2536), do F-16 (3779 construídos), por exemplo; mas para o B-2, com somente 21 aeronaves construídas, simplesmente não faz sentido argumentar que essa aeronave tenha ‘algo mais’, devido ao seu custo unitário.  Na verdade, ela possui ‘algo a menos’: o número de aeronaves construídas.  Este fato implica que o equipamento, as infraestruturas, a logística, o material de treinamento, etc., geram um custo extraordinariamente alto por unidade.  Também muito caros são a manutenção de sua superfície absorvedora de ondas de radar e todos os custos de suas atualizações.

Projeto B2 – Anti-Gravidade.
(Clique na Imagem para Amplia-la)

Considere isso da mesma forma que você consideraria a comparação do custo unitário entre um carro produzido em alta escala e um carro do qual seriam produzidas somente 20 unidades.Contudo, de forma alguma digo que um sistema de propulsão que diretamente possa agir sobre a força da gravidade não possa existir, ou que seria impossível pelas leis da física.  Eu digo que seja tolo imaginar que isso não possa existir simplesmente por não termos ainda executado tal proeza nos meros 80 anos de desenvolvimento aeronáutico.

Também é de muita pretensão e contraditório pela história da invenção humana é a ideia da incapacidade de um dia alcançar uma certa meta tenha algo a ver com ‘as leis da física’, as quais seriam estabelecidas de uma vez por todas, imutáveis e finais.  As leis da física são seguramente imutáveis, mas certamente não temos um conhecimento completo das mesmas, e ninguém deveria estar cem porcento seguro o suficiente para pensar que relacionamos e compreendemos tudo que há para se compreender.

Projeto B2 – Anti-Gravidade.
(Clique na Imagem para Amplia-la)

Porém, simplesmente porque algo não seja impossível, não o torna um feito existente. Aqui, as explicações fornecidas para um B-2 com sistema anti-gravitacional são comente cópias das mesmas explicações dadas por outros em conexão com alegadas capturas de OVNIs na Área 51.  Estas explicações começaram essencialmente com a estória contada por Bob Lazar, o qual alega ter trabalhado em discos voadores resgatados, estudando engenharia reversa, em um lugar secreto.

Contudo, essas estórias não possuem respaldo contra um exame mais minucioso feito pelos pesquisadores de OVNIs, e o mínimo que alguém pode falar é que a estória de Bob Lazar está longe de convencer aos pesquisadores que a investigaram. Não é suficiente dizer que o elemento 115 seja o segredo da anti-gravidade.  Também não é suficiente dizer que ele seja “conhecido desde há um certo tempo” por “técnicos do Black World”.  Tais declarações vagas quase não possuem nenhum valor.  Parece não haver evidência alguma, nem mesmo testemunho ocular de um controle gravitacional para os B-2.

Fonte: The History Channel.
Editado por: Arquivo X do Brasil.

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: