)

«

»

set 18 2013

Mistério: Disco do Mar Báltico Desliga Equipamentos de Resgistro e Análise

Suposto Ovni do Mar Báltico.

Clique aqui para ver matéria sobre o assunto no site Arquivo x do Brasil. 

Ele foi descoberto em maio de 2011. Sua descoberta começou a ser intensamente divulgada nos midia a partir de agosto daquele ano (2011). Desde então, o objeto submerso não identificado, que tem sido chamado de o OVNI do Golfo de Bótnia, no Mar Báltico, tem suscitado controvérsias. Dele já foi dito que não passa de uma formação rochosa natural; que é um organismo calcificado, fungos; que nada disso é verdade, que é mesmo um OVNI ou um OSNI (Objeto Submerso não Identificado ou USO – Objeto Sumarino Não-Identicado) que tem inclusive um rastro atrás de si como se fosse a marca da desaleceração durante um pouso, acidental ou não.

Novidades mesmo, poucas apareceram até hoje (27 de junho de 2012). O início das investigações enfrentou numerosas dificuldades: tempo ruim tornando inóspito o ambiente oceânico, falta de dinheiro, proibições das autoridades. Porém, agora, um fato novo apareceu tornando a natureza do objeto ainda mais misteriosa.

GOLFO DE BÓTNIA- ATLÂNTICO NORTE.

Depois de vencer obstáculos, e mesmo de terem serem chamados de oportunistas, os mergulhadores finalmente entraram no mar. E saíram com um novo problema: o equipamento para de funcionar quando eles se aproximam do objeto a uma distância menor que 200 metros.

O mergulhador profissional Stefan Hogerborn, parte da Equipe Ocean X – que está encarregada da investigação, informou sobre a anomalia. Câmeras e telefones via satélite, por exemplo, ficam inoperantes nas proximidades da formação discóide. Quando os homens se afastam, os equipamentos voltam a funcionar normalmente.

Nas palavras de Hogerborn: Qualquer coisa elétrica e o telefone via satélite parava de funcionar quando estávamos em cima do objeto. Quando nos afastamos a chegamos aos duzentos metros de distância tudo volta a operar. Voltamos a nos aproximar e, novamente, os equipamentos desligaram-se sozinhos.

O mergulhador Peter Lindberg, que lidera a Missão comentou: Nós temos nos deparado com coisas que eu realmente não poderia imaginar. Tenho sido o maior cético da equipe sobre todas as teorias. Estava preparado para encontrar um rochedo, um afloramento ou formação de lama mas nada como isso.

Outro membro da Equipe Ocean X, Denis Asberg afirmou: Estou cem por cento convicto de que nós encontramos algo muito, muito original, diferente, único. Não é uma rocha comum. Poderia ser um meteorito, um asteróide, a base de vulcão, um U-boat (Unterseeboot ou “undersea boat” – submarino militar alemão) naufragado da guerra fria, uma base espiã submarina. Porém, não é o que está parecendo. De fato, pode ser, um OVNI… Tem de ser … alguma coisa.

O fato é que, seja lá o quê for, este estranho objeto não parece fácil de ser investigado. Sem o recurso da aparelhagem eletromagnética, elétrica ou ultrasonar – os megulhadores terão de voltar ao fundo do mar para averiguar o mistério à moda antiga, usando os olhos e as mãos.

Resta saber se o enigmático disco vai permitir que esses homens cheguem perto o suficiente para tocá-lo, olhar para ele e fotografá-lo sem deixar inoperantes também suas mãos, pernas, olhos e câmeras convencionais.

Uma formação geológica natural

Suposto Disco do Mar Baltico

Exploradores suecos colocaram para descansar a especulação de uma nave espacial no fundo do mar Báltico – mas eles estão adicionando combustível para “o que é ‘mistério deste objeto em alto mar de qualquer maneira.

Digital fotos da FoxNews.com obteve da equipe que o objeto, localizado sob as ondas do mar Báltico entre a Suécia e a Finlândia, é uma espécie de “formação, geológica natural”, Peter Lindberg, o líder da equipe do IE Oceano, disse a FoxNews.com.

Não é feito de metal, “disse o cientista. Lindberg admite que poderia ser uma nave espacial alienígena – se os alienígenas decidiram fazer seus navios de meteoro-como pedras.”Quem disse que eles tiveram que usar metal?”, Brincou. “Esta viagem tem levantado uma série de perguntas.”

Durante 12 dias, com início em 01 de junho de 2012, Lindberg, seu parceiro Dennis Asberg, e outros cientistas e mergulhadores exploraram o objeto de 200 metros de largura sob o Báltico que haviam descoberto pela primeira vez há um ano em sonar.Empregando uma câmera robô, sonar e mergulhadores de águas profundas, desta vez, Lindberg e Asberg passaram quase duas semanas investigando o objeto e seus arredores.

Os cientistas estão ainda a analisar as imagens da expedição, mas elas aparecem como uma pedra gigante, – aquela que parece se originar de antes da Idade do Gelo, Lindberg disse.O objetivo principal não era a única coisa que foram vistos pelos exploradores. “Existem outras pedras soltas em torno disto”, acrescentou. “A formação de rochas é de 60 metros de diâmetro.”

Embora este objeto voador não identificado pode ter sido identificado, e provavelmente nunca voou, ele ainda guarda segredos.

“Se uma forma de vida inteligente construíu uma nave espacial, por que não fazê-lo fora de pedra ou coral?”

Peter Lindberg, o líder da equipe do IE Oceano

O estranho sobre a descoberta é a de que não há lodo na rocha, por exemplo, que seria normalmente ser coberta com sedimento no fundo do mar, Lindberg disse. Ainda mais estranho para uma formação aparentemente natural, o objeto principal é em forma de disco e “parece ter linhas de construção e caixas desenhadas sobre isso”, disse Lindberg.”Há também bordas retas.”

Os mergulhadores foram limitados naquilo que podia ver pela sua tecnologia de iluminação.Isto deu-lhes uma iluminação de apenas um metro no máximo.Sonar foi utilizado para explorar o objeto também.

“A superfície tem rachaduras sobre ele”, disse Lindberg. “Há algum material preto nas rachaduras, mas não sabemos o que é.”

Somando-se o mistério, parece haver um pilar que está segurando o objeto 200 metros de largura, disse Lindberg. “O pilar é de oito metros de altura”, acrescentou. Divers explorou o espaço, lentamente, de modo a não suscitar lodo submarino e interferir com a fotografia digital. Eles coletaram amostras de pedra de objeto nas proximidades, bem como imagens do sonar e imagens digitais. “Estamos atravessando o filme agora”, disse Lindberg, que prometeu mais imagens para FoxNews após a equipe terminou a triagem lo.

“Se uma forma de vida inteligente construiu uma nave espacial, há a questão do” por que não fazê-lo fora de pedra ou coral “, disse ele.”

A descoberta do que pode ou não ser os destroços de uma nave alienígena que caiu anos atrás fora de sua costa marítima não criou grande ansiedade na população da Suécia, uma cultura tradicionalmente urbana e cansada do mundo . O equivalente oceânico de Roswell, diz que NM é muito bonito lá, ao que parece.
“Eles estão levando muito friamente”, disse Lindberg a FoxNews.com. “Se tivéssemos encontrado extraterrestres reais, provavelmente diriam: ‘Oh, exis
tem alienígenas por lá.'”
“Os americanos e os japoneses são muito mais animados.”

Exploradores suecos colocaram para descansar a especulação de uma nave espacial no fundo do mar Báltico – mas eles estão adicionando combustível para “o que é ‘mistério deste objeto em alto mar de qualquer maneira.

Digital fotos da FoxNews.com obteve da equipe que o objeto, localizado sob as ondas do mar Báltico entre a Suécia e a Finlândia, é uma espécie de “formação, geológica natural”, Peter Lindberg, o líder da equipe do IE Oceano, disse a FoxNews.com.

Não é feito de metal, “disse o cientista. Lindberg admite que poderia ser uma nave espacial alienígena – se os alienígenas decidiram fazer seus navios de meteoro-como pedras.”Quem disse que eles tiveram que usar metal?”, Brincou. “Esta viagem tem levantado uma série de perguntas.”

Durante 12 dias, com início em 01 de junho de 2012, Lindberg, seu parceiro Dennis Asberg, e outros cientistas e mergulhadores exploraram o objeto de 200 metros de largura sob o Báltico que haviam descoberto pela primeira vez há um ano em sonar.Empregando uma câmera robô, sonar e mergulhadores de águas profundas, desta vez, Lindberg e Asberg passaram quase duas semanas investigando o objeto e seus arredores.

Os cientistas estão ainda a analisar as imagens da expedição, mas elas aparecem como uma pedra gigante, – aquela que parece se originar de antes da Idade do Gelo, Lindberg disse.O objetivo principal não era a única coisa que foram vistos pelos exploradores. “Existem outras pedras soltas em torno disto”, acrescentou. “A formação de rochas é de 60 metros de diâmetro.”

Embora este objeto voador não identificado pode ter sido identificado, e provavelmente nunca voou, ele ainda guarda segredos. “Se uma forma de vida inteligente construíu uma nave espacial, por que não fazê-lo fora de pedra ou coral?”

19/06/2012 – Cientistas suecos revelam as descobertas sobre Objeto Estranho submerso no fundo do Mar, Mas mistério continua.

Representacao Artistica

FONTE: WREN, Eddie. ‘UFO’ at the bottom of the Baltic Sea ‘cuts off electrical equipment when divers get within 200m’. DAILY MAIS/UK, publicado em 27/06/2012.
O Arquivo
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários

  1. Cláudio Telles

    “…, parece que conseguiram retirar amostras do Objeto e um dos ( 3 ) elementos encontrados é o Titânio ( utilizado na tecnologia AEROESPACIAL )., e parece que a Suécia mantem local sob vigia , mais informações…”.

    1. JLT

      Exato! Estão encobrindo, não querem que a verdade venha a público.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: