)

nov 01 2013

Quem é Billy Meier ?

Billy Meier

Muitos anos de experiência com todos os tipos das pessoas mostraram que esses que tentam discriminar Billy e que questionam tudo são obviamente invejosos, pseudo-cientistas, sectários, fanáticos, esquizofrênicos, ou simplesmente caluniadores. Em particular, eles parecem ser pessoas que, por causa de algumas estranhas opiniões, em relação ao resto do mundo, políticas, ou religiões, não pode suportar a verdade que pode diferir de suas próprias convicções. Eles estão dispostos a suprimir a verdade com a ajuda de métodos desonestos, e extingui-la, se possível, até mesmo se tiverem que caminharem por cima de cadáveres, ao mesmo tempo em que mancham e destroem a reputação de outro ser humano. “Billy” Eduard Albert Meier nasceu em Bülach, Suíça em 3 de Fevereiro de 1937. Por mais de 56 anos, ele têm mantido uma série de contatos físicos e telepáticos com seres humanos extraterrestres que alegam vir dos … aglomerados de estrelas, as Plejares. Atuando como mediador e porta voz dos Plêiadianos/Plejarans do planeta Erra, Eduard Meier comunica-nos os seus fascinantes ensinamentos de sabedoria e esotéricos verdadeiros e os auxilia em sua monumental tarefa de guiarem os seres humanos da Terra no caminho que a muito tempo atrás deixamos.

Os contatos de Billy começaram com a idade de cinco anos quando ele foi preparado para o trabalho de sua vida através dos ensinamentos de Sfath, um ser humano extraterrestre das Plejares.
Asket, a segunda pessoa contato de Billy, continuou a educá-lo por mais onze anos, guiando-o através de muitos países na Terra para que aprendesse as crenças e outras culturas.

Ilustração de uma Plêiadiana

Em 28 de Janeiro de 1975, ele começou uma série de mais de 100 contatos com Semjase, uma mulher Plêiadiana/Plejaran. Durante os contatos foi permitido a Billy fotografar sua “beamship” (nave) durante manobras de vôo. Ele tirou mais de 1000 das mais claras e perfeitas fotos de espaçonaves extraterrestres jamais vistas. Os verdadeiros diálogos foram escritos palavra por palavra e contém fatos interessantes sobre a história da Terra, das humanidades, das ciências, e tópicos espirituais.

Desde 1989, Billy tem tido aproximadamente quatro contatos, um por ano, com Ptaah, o pai de Semjase, e teve mais de 250 contatos até hoje.

O seguinte texto, tirado do livreto da FIGU, “A Verdade sobre Billy Meier” (1988) lhe dará informações adicionais sobre Billy Meier e sua missão:

A pessoa contato de OVNIs, Billy Meier, é frequentemente atacado por pessoas mal informadas que não têm o menor conhecimento dos compreensíveis contatos de Billy e sua missão, e de todos os detalhes. Elas jamais se encontraram com Billy pessoalmente. Isso se prova também pelo fato que o verdadeiro nome completo de Billy , ou seja, Eduard Albert Meier Zafirou, é como regra, apenas um nome familiar apenas a algumas pessoas e outras tantas pessoas que o auxiliam, alguns conhecidos, e membros da FIGU (Freie Interessengemeinschaft für Grenz- und Geisteswissenschaften und Ufologiestudien – Livre Comunidade de Interesses para as Fronteiras do Estudo do Espírito e da Ufologia)

Até mesmo porque pouquíssimas pessoas sabem como Eduard Albert Meier-Zafirou adotou o nome de Billy ou que o seu nome já estava gravado a 10.000 anos em documentos que foram preservados, estudados, e ainda existem na Terra. O nome Billy não só é utilizado pelo público em geral, por todo o mundo, mas também por associados mais chegados ao Billy, e geralmente pelos seres humanos extraterrestres.

Críticos mal informados e pessoas sem confiança que sentem que os contatos de Billy e sua missão são impossíveis, desacreditam e o acusam de ser um charlatão ou pior, e tentam ridicularizá-lo. Contudo, em termos gerais, elas são mal informadas sobre os assuntos e seus contextos, e, portanto, não estão em posição de passarem qualquer julgamento real e competente a respeito da missão, os contatos, ou a pessoa de Billy. De modo a assim fazê-lo de maneira fatual e realista, teriam que lidar com esses assuntos por muitos anos, de maneira séria e intensiva, e de modo honesto, para conhecerem todas as informações pertinentes e multi facetadas, estudar intensamente os fatos, e conhecer Billy. Como regra geral, esse tem sido o caso com apenas uns poucos indivíduos associados, bem como por muitas pessoas de fora que publicamente anunciam os seus sentimentos positivos com relação ao Billy Meier e seus contatos. Em palestras honestas, seminários, programas de rádio e TV, em filmes, jornais e revistas, o “Caso Billy Meier” é considerado único dentro dos círculos inteligentes. Provavelmente, não existe outro caso tão ricamente documentado pelo relato de testemunhas e outros materiais como este, mesmo embora nenhuma dessas testemunhas jamais tiveram contato com os humanos extraterrestres. (Pois este privilégio foi concedido exclusivamente ao Billy pelos humanos extraterrestres que vieram do planeta Erra no aglomerado aberto de estrelas das Plêiades. Eles NUNCA efetuaram qualquer outro contato pessoal ou por telepatia consciente com qualquer outra pessoa)

Plaiadianos

É importante se notar que as testemunhas concordam em ter ouvido, visto, e experienciado fenômenos inexplicáveis, que só poderiam ter se realizado através dos contatos de Billy.

Estas testemunhas oculares e auditivas de modo algum consistem de pessoas que sejam amigas de Billy ou de seus auxiliares,

Mas consistem de pessoas alheias, por exemplo: espectadores que participavam de um festival de rock em 1975 próximo a montanha Bachtel (em Ettenhausen, próximo a Wetzikon no Cantão Zurique) de onde elas testemunharam demonstrações noturnas de uma “beamship”, etc. Antigos membros do grupo de Billy, que existiam como um pequeno grupo não coeso desde 1975, admitiram que elas tiveram experiências relacionadas aos OVNIs e extraterrestres.
Billy não se esforça para ter tais contatos com os seres humanos extraterrestres,. Pelo contrário, ele foi procurado pelos Plejarans, por causa de uma antiga missão de milhares de anos atrás. Além do mais, foi mostrado que Billy não concorda com ganhos financeiros, publicidade, ou fama pessoal, o que pode ser evidenciado por seu estilo de vida recluso.

Os contatos com os Plejarans não ocorreram para o seu próprio deleite pessoal, porque, por trás destes eventos, existe uma grande missão que deve ser cumprida por muitas pessoas.

Em conexão com a missão muitos textos foram escritos, e parcialmente transmitidos pelos Plejarans ou por formas espirituais elevadíssimas. Algumas foram escritas pelo próprio Billy a pedidos dos Plejarans. Os inimigos de Billy nada sabem a respeito da fonte destes textos, todos os quais podem ser obtidos da FIGU, na Suíça, a grande maioria em língua alemã, incluindo as notas sobre os contatos e a última publicação o “OM”.

Muitos anos de experiência com todos os tipos de pessoas demonstraram que aquelas que querem tentar discriminar contra Billy e questionam a respeito de tudo são obviamente pessoas invejosas, fanáticas, pseudo-cientistas, pseudo-ufólogos sabem-tudo, pessoas sectárias, esquizofrênicas, ou simplesmente caluniadores. Em particular, elas parecem pessoas que, por causa de algumas opiniões concernentes ao resto do mundo, a política, as religiões, não podem suportar a verdade, que pode diferir de suas próprias crenças. Elas desejam suprimir a verdade com o auxílio de meios e métodos desonestos , e para extinguí-lo, se possível, até passando por cima de corpos mortos, manchando e destruindo a reputação de outros seres humanos.

Pleiades

No Brasil Billy Meier é conhecido apenas por causa de suas fotografias, as mais limpas, e as mais claras jamais existentes, e por ufólogos (pseudo-sábios) sabem-tudo que tentam provar de todas as maneiras e métodos possíveis que suas fotos são falsas e que tentam denegrir a imagem de Billy, pois também não conhecem a Missão de Billy, nem quem é a sua forma espírito, ou quem foi a sua forma espírito a dois mil anos passados. Pouquíssimas pessoas na Terra conhecem com profundidade o importante trabalho de Billy Meier e a grandeza espiritual de sua missão na Terra.

Qualquer outra pessoa na Terra que declare ser contatada por seres das Plêiades, Marte, Vênus, Júpiter etc. ou qualquer outro planeta desconhecido do Universo, ou com quaisquer seres extraterrenos que sejam, está descaradamente MENTINDO, ou sofre de algum tipo de psicose ou alucinação; o mesmo é válido para todas as miríades de “canalizadores”, “médiuns”, etc. que existem pela face da Terra. Os Plejarans e os espíritos dos verdadeiros SÁBIOS que conhecem profundamente a história de Jmmanuel e de nossa origem extraterrestre, e que estão além deste mundo terreno; NUNCA ENTRAM EM CONTATO com este tipo de pessoas!

(Nota do tradutor: O ser que é conhecido na Terra pelo nome de Ashtar-Sheran era um ser humano maligno, e que foi morto no ano de 1983 em um outro Universo (DAL) pelos Plejarans por causa de suas más ações. O seu verdadeiro nome era Aruseak. Portanto, pessoas que alegam terem contato com esse renegado está, também, mentindo e sofre de problemas psíquicos graves. Digam adeus aos seus Sanandas e Cristos-Maitreyas, Saint Germain e toda a corja de seres e mestres falsos que não existem, nem nunca existiram, e que são ou eram o mais puro fruto de ilusões e auto engano do próprio “canalizador”.)

Poderia me dar sua observação ampla sobre as raças humanas no Universo?

Originalmente, 40.353.607 diferentes raças humanas puras foram criadas pela Criação, emergindo de forma natural e evolutiva em muitos planetas de muitos sistemas solares de muitas galáxias em todo o Universo, desenvolvendo-se por meio de processos biológicos naturais e evolutivos do desenvolvimento planetário.

O processo de formação foi tal, que primeiro emergiu a flora planetária, por meio de certos aminoácidos e combinações aminoácidas. Através do processo natural de geração e degeneração resultou outra coincidência natural, um significante encontro da causa e efeito, da qual resultaram novas combinações aminoácidas que desenvolveram a fauna – quer dizer, o mundo animal. A flora primeiro foi somente liquens e similares, e depois de formações adicionais apareceram animais que viviam das plantas como também de outros animais. Esses animais também estiveram submetidos ao processo de geração e degeneração, e depositaram materiais e morreram, o que por sua vez desataram novos processos químico-biológicos, do qual por sua vez resultaram em novas combinações aminoácidas e novas formas de vida. Desta vez, a forma de vida humana, que se dividiu em muitas raças – como foi mencionado, em 40.353.607 raças que tinham, além do mais, um total de 343 diferentes tons de cor de pele. Todas estas raças eram além disto diferentes umas das outras de acordo com as condições de vida de seus mundos e de acordo com a atmosfera, entre outras coisas, embora fossem indiscutivelmente membros da espécie humana. Assim resultaram raças humanas parecidas a gnomos, raças pequenas como também gigantescas, anões, gigantes e titãs, etc. Entre elas havia formas de vida pequenas que embora pertencessem a suas raças, não alcançaram sua altura normal completa devido a falhas genéticas. Estes seres diminutos não tem nada a ver com aqueles de crescimento anão, raças únicas que se mantêm até hoje. Seres diminutos todavia existem hoje em dia, e até mesmo aqui na Terra, sendo chamados de “liliputianos” segundo a historia das “Viagens Gulliver”.

Na Terra temos diferentes tamanhos de seres humanos que pertencem a diferentes raças, como por exemplo os pequenos pigmeus, os de tamanho “normal” que predominam em número, como também há gigantes entre os terrestres, como por exemplo os membros da tribo Watusi e Masai na África.

De onde vem as inteligências extraterrestres com as quais você mantém contato e por que elas em particular nos visitam na Terra?

Os extraterrestres com os quais mantenho contato vem da constelação das Plêiades (Plêiades/Plêjares). Esta constelação, contudo não é idêntica as Plêiades que vemos em nossa configuração de tempo e espaço da Terra, a aproximadamente 420 anos-luz de distância. O que vemos tem 62 milhões de anos de idade e são sóis azuis ardentes completamente incapazes de suportar vida de forma alguma, nem de forma espiritual ou de forma material. As Plêiades dos extraterrestres existem em outra configuração de espaço e de tempo que está deslocada por uma fração de segundo da nossa, e pode ser atravessada por meio de uma “porta dimensional” criada artificialmente próxima das Plêiades que vemos aqui da Terra.

As Plêiades/Plêjares de onde vem os extraterrestres existem numa configuração de tempo e espaço diferente e que está defasada da nossa por uma fração de segundo, e que só pode ser penetrada por meio de uma “porta dimensional” artificial próxima das Plêjares que é vista da Terra. A distância das Plêiades até as Plêjares, como os Plejarans chamam ao seu sistema natal, é de aproximadamente 80 anos-luz. O termo Plêjares, para eles, é o mesmo que nós chamamos Plêiades em nossa língua. A pouco menos de 50.000 anos atrás, quando os extraterrestres encontraram o sistema Plêjares e seus planetas e os colonizaram, ele o chamaram de acordo com a sua linguagem Plêjares, quer dizer, de acordo com as Plêiades, pela razão de praticamente estarem só um pouco mais além das Plêiades que nós conhecemos aqui na Terra. Os Plêiadianos/Plêjarans nos visitam aqui na Terra porque tem uma certa relação com um grupo terrestre em particular, que veio para a Terra originalmente do sistema Lira e Vega, os quais também estão defasados no tempo e no espaço com os quais nós conhecemos. Estes antigos Lirianos e Veganos causaram mal ao homem terrestre daquela época muito antiga, isto é, as pessoas perderam os ensinamentos do espírito, e dessa maneira, também a forma de viver conforme a Criação, embora outros fatores também tiveram um papel que nada tinha a ver com os Lirianos e Veganos, senão com outros extraterrestres que manipularam os genes das pessoas que vieram para a Terra e se misturaram com outros aqui, de tal modo que finalmente, a humanidade inteira da Terra foi afetada pela continua herança dos genes. E agora, os Plêiadianos/Plêjarans, para reparar os danos resultantes e o mal encaminhamento, se sentem comprometidos a trazer ao ser humano da Terra os ensinamentos necessários e a informação que são indispensáveis para reparar os danos feitos por seus antepassados diretos assim como aqueles danos feitos por outras inteligências mais.

Quanto tempo dura o vôo espacial dos Plêiadianos/Plêjarans, desde o seu mundo até a Terra, e como conseguem ultrapassar a astronômica distância de 500 anos-luz?

No começo dos contatos, os vôos levavam até sete horas, desde a região defasada no tempo e espaço, que está muito além da Plêiades visíveis a partir da Terra. Com o tempo, o tempo de vôo se reduziu para sete minutos, pois a técnica foi desenvolvida ainda mais. O método de viagem mais novo é de tal modo, que se pode vencer qualquer distância no Universo inteiro, usando transmissores, sem perder nem ganhar absolutamente nada de tempo.

Durante as primeiras vezes, ainda se utilizavam da propulsão por raios, por Táquions e por anti matéria. Os dois últimos alcançavam velocidades muitas vezes múltiplas da velocidade da luz, pelos quais podiam vencer as enormes distâncias em pouco tempo. Estas técnicas ainda são mantidas, juntas com a técnica mais nova de viagem com transmissores, nas quais se pode programar as coordenadas de destino, com praticamente um metro de exatidão e se pode chegar ao destino sem perda de tempo. 

Por que os extraterrestres não aterrissam em público, por exemplo, em frente ao palácio de das Nações Unidas em Gênova ou em frente a Casa Branca, em Washington?

As razões são muito variadas. Uma de muita importância, é baseada em um mandamento que diz que os Plêiadianos/Plêjarans não devem intervir de maneira alguma em nenhuma coisa humana de nenhum planeta, e não devem se deixar reconhecer se a humanidade não é ainda capaz de viajar em grande medida pelo espaço, e por outro lado, de modo ético e humanístico, não tenham alcançado uma norma de união pacífica e humana, assim como cósmica, com todas as formas de vida. Portanto, os extraterrestres Plêiadianos/Plêjarans não se deixam conhecer nem se movem abertamente.

Por que só “Billy” Eduard Meier tem contatos com os extraterrestres e ninguém mais?

A razão se encontra num passado de milhões de anos, ao existir meu ente espiritual em pessoas que se comprometeram com uma missão especifica, e de fato, por decisão própria. Esta missão se voltou para a toda a consciência, a qual é capaz de reencarnar junto com o espírito por muitas reencarnações e milhares de anos, um dever prolongado que chega até hoje em dia. Desta maneira se adaptou a consciência inteira, a qual veio de níveis mais elevados, para as formas de consciência mais inferiores que existem na Terra, ainda que também foi capaz de reter a capacidade de manter a semelhança com formas de consciência mais elevadas. E se hoje eu posso manter contato com os Plêiadianos/Plêjarans, então isto é somente porque minha forma de consciência é similar a estes extraterrestres de consciência e de espírito altamente desenvolvidos, o que na Terra é possível somente para mim, sem que nenhuma outra pessoa possua esta capacidade, pois é absolutamente impossível para outros habitantes de Terra manter algum contato com os Plêiadianos/Plêjarans.

Por milhares de dezenas de milhões de anos, meu ente espiritual naturalmente sempre foi o mesmo, embora a consciência, que é capaz de reencarnar, muda, como está predeterminado e é o normal. Com cada reencarnação nasce uma nova consciência, e portanto, uma nova personalidade que não pode ter, e nunca terá, nada em comum com as personalidades anteriores. Isto significa que é errado afirmar que um ser humano, com uma determinada personalidade, pode ter tido duas vidas diferentes e ter sido a mesma pessoa. Única e exclusivamente o espírito é sempre o mesmo, enquanto que a personalidade da consciência se transforma evoluindo, o qual tampouco significa que eventualmente não possa recordar-se das personalidades das vidas passadas. Mas na Terra existe um sem número de farsantes “contatados”, com relação aos extraterrestres, conhecendo entre eles também os “médiuns” e os “canalizadores”.

Qual é a sua opinião, e respectivamente a dos Plêiadianos/Plêjarans, sobre esta penosa situação?

Com respeito aos contatos com os Plêiadianos/Plêjarans, tudo é uma farsa, mentira e engano, pois efetivamente, não há ninguém na Terra, com minha exceção, que seja capaz de manter contato com eles, nem no aspecto físico nem tampouco telepático ou em sensibilidade. Quem opinar de outra forma, caiu na mentira e na farsa, como também no engano – um fato, que os Plêiadianos/Plêjarans tem afirmado e continuam veementemente confirmando durante todo o tempo de meus contatos. Com efeito, houveram cinco pessoas que tiveram contatos conscientes, do tipo de impulso com os Plêiadianos/Plêjarans, mas todas elas já morreram.

Com outros extraterrestres, igualmente não existe nenhum contato pessoal com pessoas da Terra, de modo que afirmações contrárias são também mentiras, farsa e engano, sem importar como as senhoras e senhores se chamem ou que títulos possuam, se dizem manter contato com extraterrestres ou com entes espirituais ou de luz, etc. E com isto, também me refiro aos “médiuns” e “canalizadores”, quem como regra, não são mais que conscientes mentirosos, farsantes e embusteiros ou dementes enfermos, esquizofrênicos ou psicopatas, etc.

Por outro lado, deve ser mencionado que certos contatos para exames, em que certos extraterrestres tenham pego seres terrestres para analisá-los e estudá-los, quer dizer, examiná-los. Contudo, isto nada tem a ver com os disparates que os extraterrestres engravidam mulheres terrestres, ou tenham relações sexuais com elas, etc., assim como se dissemina esta coisa absurda histericamente especialmente na América do Norte. Muitas vezes em conjunto com afirmações erradas, que os extraterrestres estejam massacrando animais nas fazendas.

Muitas vezes as naves de vôo dos extraterrestres e até as suas aterrissagens são observadas, e são também filmadas e fotografadas, mas estas coisas não se chamam contatos; isto deve estar bem claro. Contatos reais são aqueles em que há uma comunicação verbal ou telepática entre os extraterrestres e pessoas da Terra. Mas até agora, não existe outra pessoa na Terra, exceto eu, capaz de fazê-lo.

Deve se considerar que todos aqueles mentirosos e mentirosas, farsantes enganadores e enganadoras que asseguram ter contatos telepáticos com formas de vida das Plêiades, devem esperar mil anos pela resposta, se puderem enviar um mensagem telepática até lá. Até as Plêiades que vemos da Terra, são exatamente apenas 420 anos-luz, tanto na ida como na volta, são, portanto, 840 anos-luz. E como os pensamentos telepáticos só se movem a velocidade da luz, são necessários por volta de 420 anos-luz para chegar até as Plêiades, que vemos a partir da Terra. E se houvesse alguma forma de vida que pudesse dar a resposta, neste lugar, que é completamente inabitável, e não é habitado por nenhuma forma de vida física ou espiritual ou espectral, então são necessários outros 420 anos-luz para que a resposta chegue de volta até a Terra. Mas quem vive 420 anos na Terra? Assim se insultam todos os supostos contatados, “médiuns”, “canalizadores”, por mentir, enganar e por embuste, assegurando que têm contato telepático com seres que estão muito distantes em outras estrelas ou planetas. E todos eles, de fato, não tem a capacidade de manter tais contatos, posto que não possuem nenhuma idéia de como poder superar estas enormes distâncias com os seus pensamentos telepáticos. Ainda que o segredo desta possibilidade eu não a quero dizer aqui, porque então todos estes mentirosos, embusteiros e enganadores, prontamente afirmariam ter a mesma capacidade.

Você é um homem muito cuidadoso quando se trata de conhecer outras pessoas novas. Por que você leva um estilo de vida tão reservado, considerando a importância da missão, que tem que ser disposta para todo o mundo?

Ao contrário do que dizem continuamente, isto certamente não é por medo das várias tentativas de assassinato; 13 vezes, que já cometeram contra a minha vida. As razões pelas quais eu mantenho um perfil baixo são várias: por um lado, não sou nenhum guru ou líder de uma seita, e por isso, não devo apresentar-me publicamente para atrair simpatizantes ou para que me ponham como um santo, pois de forma alguma eu o sou. Por outro lado, eu não quero deixar que me ponham em um pedestal, pois não sou algo especial, nem alguém que goste de ser admirado ou adorado. Eu não sou um objeto de observação de algum zoológico.

Tampouco me inclino a deixar-me entrevistar por jornalistas, já que geralmente buscam somente o sensacionalismo ou, distorcem e falsificam a verdade ao máximo, e praticam um jornalismo sujo e vulgar que está muito distante da verdade – ou tem a tendência de transformar tudo em porcarias, igualmente com mentiras e distorcendo as verdades.

Para disseminar a lição da verdade não se necessita de um guru ou de uma seita. Nem tampouco se necessita de nenhum santo ou de nenhuma pessoa que apareça grandiosamente diante do público. O afã da publicidade e os delírios de grandeza são igualmente inapropriados como a megalomania e coisas similares. Mais adequado é a modéstia e um estilo de difundir as lições que não aspira a acumular seguidores ou crentes, senão que esteja modelado de tal forma que somente as pessoas que realmente buscam a verdade se sintam correspondidas, e somente quem tenha também a vontade de aprender por sua própria iniciativa e por seu próprio desejo, sem que um guru ou um chefe de seita lhes dê com um cetro em suas cabeças. E isto requer que cada uma destas pessoas tenha uma responsabilidade própria e completa, em todos os aspectos, por si mesma, por suas ações e sua vida, com toda consciência, sem que se lhes metam crenças religiosas ou até sectárias que requerem que tudo deva ser apenas acreditado e que não seja pensado e investigado por si mesmo, nem tampouco decidido por si mesmo.

A importância da difusão e do cumprimento da Missão requerem, portanto, que toda pessoa seja livre, e que nesta liberdade, a pessoa também decida por si mesma sobre tudo e também atue desta forma, sem que um guru, mestre ou líder de seita esteja frente a eles, apresentando-se muitas vezes, e exigindo e dando-lhes ordens.

O ser humano deve ser livre em todos os aspectos, deste modo, ele sempre e em todo caso, é o responsável por todas as coisas da vida, sem que um deus imaginário possa intrometer-se, ou um guru, ou sacerdote ou algum tipo sectário. Só assim, o homem permanece ou se torna independente e pode guiar sua vida por si só, isto é, carregando sua própria responsabilidade. Esta responsabilidade, eu as tiraria das pessoas, se eu me apresentasse publicamente, pois as pessoas tem a peculiar tendência de elevar imediatamente a alguém, quando este alguém tem uma certa importância de algum modo e quando aparece publicamente, sem importar de que maneira o faça.

Algumas pessoas dizem que a FIGU é também uma seita, como muitas outras. Também dizem que Billy Meier é um guru. Isto é correto?

Naturalmente que não é, pois nós não somos uma organização religiosa ou sectária, nem tampouco política ou militar, baseada em alguma verdade totalitária e autocrática. Nós de maneira alguma somos perfeitos ou sabemos tudo perfeitamente, portanto tampouco podemos difundir um ensinamento perfeito, de tal modo que muitas perguntas ainda se encontram abertas. Portanto, podemos difundir somente a verdade das leis e mandamentos criacionais-naturais que nós conhecemos, cuja retidão nós podemos respaldar e explicar, as quais se tratam da única e pura verdade, que toda pessoa mesma pode encontrar dentro de si mesma e na natureza e no meio ambiente, se tem a vontade de buscar e de encontrar esta verdade.

E correspondentemente, não há nenhuma outra verdade, exceto aquela que efetivamente foi dada. E só esta verdade é que nós representamos. Portanto, ninguém é obrigado ou coagido a crer ou a aceitar algo que ele mesmo não haja explorado e reconhecido efetivamente como a verdade, e de fato, por sua própria direção e com responsabilidade absolutamente própria, sem que exista alguma força ou coação de nossa parte, de crer ou aceitar algo. Conosco não existe nenhum guru, mestre ou líder de seita, etc., que esteja sobre os outros grupos ou membros da organização, embora eu esteja somente como guia , guiando tudo, mas sem ter nenhuma posição especial. Portanto, eu não sou nenhum guru, mas só um membro normal da organização, como qualquer outro – com os mesmos direitos e obrigações. Eu não tenho a função de um guru ou o título de um mestre ou algum guru em nossa organização, mesmo quando pessoas desconhecidas gostam tanto de afirmar desta maneira, sem nada ter observado em nossos grupos, senão que se sujeitam aos falatórios de outros, formando assim suas falsas e estúpidas opiniões.

O que quer dizer quando está escrito que você é o verdadeiro profeta dos novos tempos?

Esta designação não foi eu mesmo quem a pus, senão que me foi dada pelos extraterrestres, pelos Plêiadianos/Plêjarans. Esta designação não significa que eu seja uma pessoa com um poder especial de autoridade, etc. De fato, eu sou um homem como outro qualquer, embora quando outros vêem, por exemplo, que eu sou capaz de controlar e neutralizar as minhas vibrações a tal ponto que posso manter contato físico e telepático com os altamente desenvolvidos Plêiadianos/Plêjarans e possuo certas faculdades que outras pessoas da Terra não possuem as quais não me tornam em algo especial.

A denominação tampouco não é nada arrogante, senão que é apenas uma palavra que é mal entendida por muita gente. Na realidade, este nome é somente um termo para “anunciante”, isto é, uma pessoa que anuncia as coisas, como por exemplo, profecias ou declarações, etc., cujo conteúdo é elaborado por si mesmo ou tirado de outras fontes. E quando se diz que eu sou o autêntico profeta da nova era, então se está fazendo referência a que eu sou o anunciador que foi predito fazem muitos milhares de anos de fato, já a mais de 13.000 anos. Isto está conectado a linhagem de minhas reencarnações que meu ente espiritual e toda a minha consciência tem seguido então desde esses tempos, havendo cumprido, dentro de outras personalidades, missões de profeta em vários tempos anteriores. Como resultado final, venho como a nova personalidade, predita e predeterminada, de anunciador ou profeta da nova era, embora, apesar disto, eu não sou mais nem menos que simplesmente uma pessoa normal, como qualquer outra. Isto tampouco muda o fato de que eu sou um intermediário entre os Plêiadianos/Plêjarans e elevadas formas espirituais e os seres humanos da Terra.

Para concluir, uma pergunta um tanto indiscreta, como você se sente realmente entre as pessoas da Terra, estando o seu lar original em regiões muito mais além?

O lar original está a milhares de anos no passado embora eu me sinta sempre unido ao mesmo, e não posso negar que muitas vezes sinto saudades. Não obstante, eu estou em minha casa, aqui na Terra e aqui tenho muitos amigos queridos por todo o mundo. De qualquer maneira, isto não altera o fato que muitas vezes me sinto extremamente só, o qual não é por meus amigos, senão por causa do mundo espiritual e de consciência da Terra, a qual tem uma grande discrepância com o que tinha meu lar original, e efetivamente, ainda tem.

 

Fonte: http://der_beobachter.br.tripod.com/beam.htm (Traduzido por Der Beobachter 17/DEZEMBRO/2002)
1
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

1 comentário

    • paulo on 19 de novembro de 2013 at 10:51 AM
    • Responder

    como uma habilidade como a telepatia pode ser relegada apenas ao passado e a pessoas que se foram se e’ uma habilidade a ser conquistada cada vez mais presente?e’ totalmente equivocada a tese de nao contato de outras pessoas principalmente neste nivel de impulso telepatico.embora nao aja certeza absoluta da origem dos contatantes eu tive este tipo de contato ao longo de meus quarenta e tres anos .

Deixe uma resposta para paulo Cancelar resposta