)

«

»

set 12 2014

O fenômeno dos OVNIs merece um estudo irrestrito.

Abaixo, um artigo de BILL WICKERSHAM, para o columbiatribune.com, o qual reforça a veracidade do fenômeno dos OVNIs e da visitação extraterrestre ao nosso planeta:

BILL WICKERSHAM
(Clique na imagem para amplia-la)

Um dos maiores investigadores mundiais de objetos voadores não identificado e da visitação extraterrestre (OVNIs/VET) é o meu bom amigo C. B. “Scott” Jones.  Foi ele que organizou e agregou a conferência “When Cosmic Cultures Meet” (“Quando as Culturas Cósmicas se Encontram”), com base em Washington – D.C., a qual envolveu muitos dos maiores cientistas e analistas de OVNIs do mundo.  Jones também foi financiado e requerido pelo filantropo Laurance Rockefeller a viajar para a Europa, Rússia, China e outras regiões, a fim de agregar informações de ovniólogos e autoridades governamentais sobre as atividades OVNI/VET naquelas e outras partes do mundo.  Scott, que agora reside em Kerrville, Texas – EUA, é um ex-oficial de inteligência da Marinha dos EUA e assistente especial do finado senador estadunidense Clairborne Pell, de Rhode Island.  Ele também é um cientista político, cujos interesses incluem a pesquisa pela paz e a análise de impacto a respeito do contato humano com culturas de fora do planeta, bem como outros assuntos relacionados ao fenômeno OVNI/VET.

O seu site é:www.peaceroom.com.

C. B. “Scott” Jones.
(Clique na imagem para amplia-la)

Em seu trabalho, Jones embasa a sua pesquisa em suas grandes suposições:

1. As consequências dos encontros com culturas cósmicas serão profundamente extremos.  Todos os segmentos da civilização da Terra serão afetados, inclusive a religião, a política, a ciência, a tecnologia, a saúde, a agricultura, a educação, etc.

2. A contemplação do impacto deste encontro com várias culturas humanas, inclusive a consequência provável e preferida, como previstas por aquelas culturas, é um projeto de pesquisa/educação crítica para as melhores mentes que estejam querendo abraçar o desafio.

De acordo com Jones, algumas das questões chave para esses acadêmicos no mundo todo que aceitarem o desafio serão:

  • Quando o completo desacobertamento OVNI/VET ocorrer e as reuniões forem feitas com os visitantes, qual será a probabilidade de impacto nas populações/nações/culturas na preocupação primária de cada acadêmico?
  • Serão alguns segmentos destes grupos, inclusive das denominações de várias religiões, mais afetados do que outros?  Quais serão? Por que?
  • Que diferenças você espera a respeito das reuniões com os visitantes extraterrestres com culturas em outras partes do mundo?
  • A que nível têm as populações/nações/culturas de cada acadêmico já se preparado para uma reunião com representantes ETV?
  • O quão aprofundadamente teriam as populações/nações/culturas de cada acadêmico pesquisado seriamente sobre o fenômeno OVNI/VET?
  • Globalmente, como deveria ser orquestrada a reação do nosso planeta ao desacobertamento e contato OVNI/VET?  Quem deveria falar em nome da raça humana?

No futuro, à medida que mais questões sobre OVNIs/VET surgirem, haverá uma pressão aumentada sobre a comunidade acadêmica para focar sua atenção nos problemas relacionados.

Como Scott Jones disse: “O programa de contra-inteligência, que já foi eficaz, apontado contra a população dos EUA e apoiado pela maioria dos países, ou pelo menos concordado, com capacidade tecnológica para reconhecer e avaliar as atividades extraterrestres, sucumbiu.  … Milhares de fotos de OVNIs à luz do dia, tiradas nos céus de países ao redor do mundo, têm estatisticamente superado a permissão geralmente controlada e dada às usuais formações de nuvens e fenômenos climáticos, aeronaves militares secretas e outras ‘coisas’ não identificadas que passam pelo céu“.  O governo e outros “não podiam continuar controlando através de ameaças, multas e prisão, homens e mulheres com fortes convicções morais sobre o que a sociedade estava sendo negada.  Centenas de delatores têm se manifestado, revelando muito do que concordamos em revelar sob juramento, quando fornecida a proteção da Casa Branca ou do Congresso.  …Além disso, há uma comunidade exopolítica madura, que ganhou respeito ao ponto de haver uma colaboração dos militares e das organizações de inteligência para agregar e analisar as informações sobre o fenômeno, que ainda é pela maior parte um enigma.”

Nota: Exopolítica é definida como a arte ou ciência de criar políticas sobre o fenômeno e os seres extraterrestres.

Jones ainda disse: “Pequenas partes da comunidade acadêmica global acordou.  Uma universidade australiana recentemente cedeu um Ph.D. em Estudos de OVNIs, e a Universidade de Hong Kong está oferecendo um curso sobre o assunto.  Nos Estados Unidos há uma crescente cobertura dos assuntos OVNI/VET por jornais universitários, e os estudantes estão abrindo suas mentes para algo muito importante para seus futuros.”

Um outro estudioso do assunto, o falecido professor de astronomia J. Allen Hynek, que liderou um grupo científico para a Força Aérea dos EUA num estudo sobre OVNIs que durou 17 anos, o Projeto Blue Book (Livro Azul), aumentou os esforços por parte dos acadêmicos no campo da ovniologia.  Ele disse: “Se qualquer outro fenômeno tivesse tido milhares de testemunhas como as de OVNIs, haveria centenas de estudos de pesquisa, com o apoio total das instituições acadêmicas.”

Lamentavelmente, este não foi o caso.

A meta abrangente das instituições acadêmicas por todo o mundo é a pesquisa pela verdade, pelo bom e pelo belo.

Quando a investigação imparcial, irrestrita, alimentada pela força intelectual está focada num problema, podemos esperar que a civilização provavelmente será bem servida por tal pesquisa.  O problema OVNI/VET é na verdade complicado e, para alguns, assustador.  Como tal, ele certamente qualifica como um problema pelo qual a verdade deve ser procurada.

Peter Sturrock, professor emérito do espaço e da astrofísica, e ex vice-diretor do Centro para a Astrofísica Espacial, na Universidade de Stanford, falou bem: “A definição definitiva do enigma dos OVNIs não virá, ao menos, e até que o problema seja sujeitado a um estudo aberto e extensivo, pelos procedimentos normais de ciência e administração estabelecidos em universidades.”

 Bill Wickersham, autor do artigo acima, é professor adjunto para Estudos da Paz, na Universidade de Missouri-Columbia.

Fonte: www.columbiatribune.com, n3m3
Editado por: Arquivo X do Brasil

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: