)

nov 16 2014

Centro de estudos de ETs na Unicamp abrigaria o ET de Varginha.

Instituto de Química da Unicamp abrigaria o Pavilhão 18, ‘casa’ do ET de Varginha e de vários outros.
(Clique na Imagem para Amplia-la)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), instituição fundada em 1966 e que concentra 23 mil alunos em seus 60 cursos conceituados, conquistou uma fama que pouco tem a ver com a área acadêmica: estudiosos da ufologia, ciência que estuda elementos ligados a óvnis (objetos voadores não identificados), apontam a universidade como abrigo para criaturas extraterrestres e o maior centro brasileiro de pesquisa sobre a vida fora da Terra.

Por isso, os ufólogos apelidaram a Unicamp de Área 51 brasileira, uma referência à área militar restrita no deserto de Nevada, nos Estados Unidos, tão secreta que o governo norte-americano só admitiu sua existência oficial em 1994 e ainda com muitas restrições. Ufólogos afirmam que o local recebe extraterrestres capturados no território americano, fato nunca confirmado ou negado pelo governo. Por isso, segundo eles, a semelhança entre os dois locais.

O ET de Varginha

O caso de Varginha ocorreu no dia 20 de janeiro de 1996, e se tratava de uma possível aparição de objetos voadores não identificados com captura de criaturas extraterrestres de alto nível de civilização pelas autoridades brasileiras. Uma destas criaturas teria sido levada até a Unicamp, onde permaneceria até hoje.

Três garotas, ao passarem próximas a um terreno baldio, afirmaram terem visto uma das tais criaturas, que teria pele marrom, viscosa, olhos enormes de cor vermelha e três protuberâncias na parte superior da cabeça, que era muito grande.

Na mesma cidade, um casal também afirmou ter visto um óvni esfumaçado, e outra testemunha afirmou ter presenciado a queda de um óvni e seus destroços sendo recolhidos por militares. Uma investigação realizada pelo Exército Brasileiro, finalizada em 1997, afirmou que as pessoas viram um homem no terreno e confundiram-no com um suposto extraterrestre

De acordo com estudiosos, a Unicamp começou a se tornar o principal reduto de pesquisas extraterrestres brasileiras a partir de 1996, com o caso do ET de Varginha (MG). Para os ufólogos, a criatura encontrada na cidade mineira foi trazida para a Unicamp.
“O Exército foi até o local, mas o ET não estava mais lá e tinha sido retirado numa ambulância. Os militares foram atrás dela e a interceptaram. O ET foi retirado da ambulância e levado para a Unicamp, onde foi pesquisado. Foi um dos casos mais importantes da ufologia de todo o mundo. E há muitas testemunhas”, diz afirmou José Fernando de Moraes Pinto, biólogo e estudioso do tema.

O local

O laboratório de testes da Unicamp, que teria criaturas mortas e vivas de outros planetas, ficaria metros abaixo da terra e seria conhecido como Pavilhão 18. Segundo os ufólogos, ele é guarnecido de forma única e estaria localizado próximo ao Instituto de Química e a Faculdade de Ciências Médicas.

“Já vimos soldados do Exército, com armas de calibre grosso, e também seguranças particulares que rondam o local durante todo o dia, mas não dá para saber muito, já que o local não é acessível para alunos e pessoas em geral”, disse Ricardo Roehe, ufólogo, pesquisador e responsável pelo site “Ufólogos Online”.

Roehe explica que, com o sucesso na análise do ET de Varginha, que teria sobrevivido e seria mantido no local até hoje, a universidade foi escolhida para receber outras criaturas. A partir daí, o laboratório subterrâneo teria sido construído para abrigar os extraterrestres. “O motivo de ser subterrâneo é controlar os poderes mentais dos ETs e evitar que eles tentem se comunicar com seus pares por telepatia”, informou ele, contando ainda que a Unicamp concentra uma grande variedade de extraterrestres: “todos os ETs capturados em Varginha estão lá, assim como os chupa-cabras capturados vivos ou mesmo os abatidos no interior do país”, disse.

Outro lado

A universidade se pronunciou através de nota oficial e negou as informações. “Não procede a informação de que a Unicamp estaria desenvolvendo pesquisas ou abrigando supostos extraterrestres em suas dependências”, afirma a universidade.

“A instituição interpreta o assunto como um mito que prosperou no imaginário popular e nega qualquer afirmação ou insinuação a esse respeito”, completa a nota oficial.

Procurado para comentar o caso, o Exército Brasileiro informou, em nota oficial, que a informação sobre a presença de militares do Exército protegendo uma área na Unicamp “não procede”.

Coronel da FAB

Relato de um Coronel da FAB encarregado da segurança do extraterrestre capturado em Minas Gerais, criatura esta viva, foram feitos diversos estudos biológicos, clínicos com provas reais. Coronel alega que o governo sabe e que este não foi o único caso de captura de um extraterrestre vivo que empresas como Petrobras e outras que trabalham para o governo tem dados de base subterrânea aqui no Brasil em diversas localidade a 12 km de profundidade.

Esta entrevista só foi possível graças a (David ..?.. King) um empresario, psicólogo, profissional gráfico que através de pesquisas e influencias conseguiu o contato com o Coronel, disposto ao desacobertamento.

No final do vídeo foi feito uma montagem similar ao vídeo original de como a criatura estava com o áudio original, (a pedido do coronel não foi possível colocar o vídeo original), apenas algumas cenas do original foram colocados prestem atenção nas sombras e nas partes mais escuras do vídeo.

Assistam ao vídeo e tirem suas conclusoes:

Fonte: Uol, Youtube
Editado por: Arquivo X do Brasil.

 

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe um comentário