)

jan 19 2017

Cientistas descobrem que contas de colar do Egito antigo são do espaço

Esferas de meteorito, no centro, faziam parte de colar de 5 mil anos do Egito antigo. (Foto: UCL/Divulgação).
(Clique na Imagem para Amplia-la)

Material do colar foi retirado de pedaços de meteorito, apontam os pesquisadores.
Peças de ferro têm 5 mil anos e formavam joia com outros minerais.

Nove pequenas esferas de ferro, que faziam parte de um colar da época do Egito antigo, não foram retiradas de rochas terrestres de minério de ferro, como se supunha.

Elas têm sua origem no espaço sideral. Cientistas da University College London descobriram que o material foi retirado de pedaços de meteoritos. 

Técnica para trabalhar com ferro de meteorito antecedeu fundição de ferro. (Foto: UCL/Divulgação).
(Clique na Imagem para Amplia-la)

As contas têm mais de 5 mil anos e formavam um colar junto com outros minerais exóticos como ouro e pedras preciosas. A descoberta foi publicada na revista “Journal of Archaeological Science”.

O principal autor do estudo, Thilo Rehren, do Instituto de Arqueologia da University College London, afirma que as técnicas utilizadas para a obtenção das “contas espaciais” foram diferentes das aplicadas nas outras pedras.

“O formato das contas foi obtido por técnicas de metalurgia e rolagem, mais provavelmente envolvendo múltiplos ciclos de marteladas, e não por técnicas tradicionais usadas para esculpir e perfurar, que foram aplicadas nas outras esferas encontradas no mesmo túmulo”, diz Rehren.

Cientista manipula material que foi retirado de pedaço de meteorito. (Foto: UCL/Divulgação).
(Clique na Imagem para Amplia-la)

Os resultados mostram que a técnica de metalurgia do ferro meteorítico – uma liga de ferro e níquel mais dura, porém mais frágil do que o cobre, metal que era mais comumente trabalhado – já havia sido dominada em 4 mil A.C.

A técnica teve origem, portanto, mais de dois milênios antes do domínio da fundição do ferro.

Pesquisadores afirmam que as técnicas utilizadas para trabalhar com o ferro meteorítico foram, portanto, essenciais para o desenvolvimento da fundição do ferro.

As esferas metálicas estavam completamente corroídas quando foram descobertas em 1911, em um cemitério próximo da cidade de el-Gerzeh, a cerca de 60 km do Cairo, no Egito. Para determinar a natureza das esferas, foi utilizado raio-x, o que permitiu uma análise pouco invasiva do material.

“O resultado realmente empolgante dessa pesquisa é que fomos capazes, pela primeira vez, de demonstrar conclusivamente que existem traços típicos de elementos como cobalto e germânio presentes nessas esferas, em níveis que só ocorrem em ferro meteorítico”, diz Rehren.

Fonte: G1, em São Paulo
Editado por: Arquivo X do Brasil

1
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe um comentário