)

«

»

fev 04 2017

Hitler, Armas Secretas e os OVNIS alemães – A História Oculta [Parte 2]

Hitler, Armas Secretas e os OVNIS alemães.
(Clique na Imagem para Amplia-la)

Certamente o Dr.von Braun estava no topo da lista e se ele e Miethe eram velhos amigos e tinham cooperado nos projetos iniciais dos foguetes há pouca dúvida de que Miethe tivesse sido um alvo também.

Não obstante, o trabalho de Miethe perto de Praga o havia colocado fora do alcance e apenas os próprios esforços de Miethe é que fizeram com que os Aliados pudessem por a mão nele.

O pós guerra imediato é crítico para o entendimento, tanto do mito como da realidade dos discos voadores ou Ovnis. Uma coisa é certa: centenas de cientistas nazistas bem como pessoal de inteligência, muitos dos quais estiveram envolvidos no abuso de milhares de trabalhadores escravos, foram transportados via Operação Paperclip (assim chamada após o nome original de Overcast ter sido comprometido). Muitos destes pessoal técnico foram inicialmente enviados a Fort Bliss no Texas. De lá eles foram distribuídos de acordo com sua habilidade e especialidade, para muitas das instalações de pesquisa avançada espalhadas pelos EUA e Canadá.

Interessantemente, Chance-Vought, construtor dos protótipos V173 e XF5U1, mudou a sua base de operações para o Texas no início de 1947.

A companhia parece ter sido muito menos que cândida neste estágio inicial sobre a verdadeira natureza e extensão de seu envolvimento de uma nave de propulsão de 1948 depois do advento dos jatos, e isto agora está em questão.

Parece que uma versão a jato usando motores Allison J33 estava em teste no Campo de Muroc em 1947.

Os livros de história nos ensinam que a versão de propulsão era para ser testada aqui antes que fosse cancelado o programa. Não obstante, o nosso entendimento da situação é que os desenhos técnicos da versão a jato tem agora aparecido por meio de uma série de requisições do Ato de Liberdade de Informação. [FOIA] Dado o predominante desenho desta nave e muitos avistamentos de discos voadores no Novo México e no litoral Oeste no final dos anos 40 é seguro concluir que os avistamentos eram relacionados a um disco de origem terrestre com características de performance limitadas.

O melhor destes são argumentadamente os avistamentos sobre o campo de Muroc relatados por pessoal militar a serviço em 08 de julho de 1947 e o assunto de uma investigação subsequente interna que revelou que o objeto visto tinha a forma de um disco e se movia por volta de 3 mil milhas por hora.

As testemunhas militares Gerald Neuman e Joseph Ruvolo afirmaram que na opinião deles era uma aeronave feita pelo homem viajando a 300 milhas por hora e esta opinião foi sustentada por um testemunha civil de nome Lenz. Objetos similares foram vistos, muitos deles em e ao redor da Area de Testes de White onde sabemos com certeza que estavam trabalhando muitos cientistas do Paperplip. É provável que neste estágio as pessoas estivessem vendo uma aeronave de asas circulares construída nos EUA e somente gradualmente, no final dos anos 40 e início dos anos 50, os avanços alemães tenham sido incorporados no predominante programa de discos.

Sobretudo, os historiadores militares concordam que uma enorme quantidade de material foi recuperado das instalações da Alemanha e levou uma grande quantidade de tempo e de esforço para reunir tudo isto. Sabemos dos relatórios de Gerald K Haines e do desclassificado recentemente (1995) relatório do Projeto Silver Bug do Centro de Inteligência Técnica Aérea [Air Technical Intelligence Centre report on Project Silver Bug] que os protótipos dos discos voadores foram testados (obviamente antes de 1955) para determinar sua utilidade em termos de operações futuras em bases dispersas destinadas a reduzir a vulnerabilidade a um ataque aéreo russo. Daí, o uso possível das aeronaves VTOL pelas instalações camufladas.

Também sugiro que os avistamentos relatados por pessoal militar durante a Operação Mainbrace de 1952 pode ter sido relacionado a um protótipo similar de disco voador. Parece-me que um tal exercício maior merecia uma excelente oportunidade para teste e avaliação.

Dado que agora acreditemos que Klaus Habermohl tenha projetado o primeiro motor de fluxo radial, um desenvolvimento revolucionário para qualquer padrão [mesmo os de hoje] em 1943, é provável que dentro de uns poucos anos tenha sido feito progresso embora a própria natureza avançada do motor tenha feito apenas um progresso vagaroso. A incorporação de um motor de fluxo radial usando o Efeito Coanda em combinação com uma asa circular fez desta arma digna de ser mantida em segredo.  A asa circular a jato e a nave Silver Bug eram apenas duas de uma variação tripla do mesmo tema. Havia dois protótipos de Silver Bug , Projetos Y e Y2,

o primeiro usando um motor padrão de fluxo axial e o segundo, de um tipo mais avançado. O projeto Y foi também chamado de P724 (P sendo o número do projeto de AV Roe Company) r de fato era um híbrido disco/AVRO Arrow (o Arrow era uma aeronave supersônica avançada cancelada no início dos anos 60 supostamente após o governo americano ter pressionado o governo canadense]. A existência de projetos além do limitado Avrocar acrescenta um peso posterior a sugestão de que o Avrocar tenha sido um pouco como que uma cobertura para uma projeto muito mais avançado de aeronave. Vamos esclarecer bem este ponto: ambos os  projetos, Y e Y2 eram separados e distintos do Avrocar e de fato evidência posterior sugere que a nave em teste de voo perto de Praga em fevereiro de 1945 era ainda mais avançada ! é interessante notar que os proponentes da hipótese extraterrestre tendem a utilizar o fracassado programa do Avrocar como uma evidência de que os Ovnis devam ser de origem ET. Nós podemos agora desmentir estas enganosas conclusões.

Em uma nota em separado e em vista da sugestão de que as instalações subterrâneas tenham sido construídas no período do pós guerra agora parece que em certos casos elas foram usadas para abrigar um certo número de aeronaves tipo disco. Isto não é a mesma coisa que dizer que elas eram localizadas em regiões selvagens do Canadá mas mais provavelmente dentro da Área de Teste de White Sands e mais tarde perto das instalações de Groom Lake no Deserto de Nevada.

Hitler, Armas Secretas e os OVNIS alemães.
(Clique na Imagem para Amplia-la)

Ainda que a realidade terrestre dos discos voadores tenha sido subtraída por Bob Lazar, John Lear e uma geração de ufologistas americanos, parece como se a remota natureza do leito seco de Groom Lake foi considerada tanto pelos discos voadores como para o avião espião U2. Não há a menor dúvida de que todas as estranhas e maravilhosas aeronaves são testadas em Groom Lake mas em termos de discos voadores parecem que eles só podem ter chegado em 1959/60. As instalações lá, embora sejam o lar secreto da aeronave da CIA e possivelmente do Escritório de Reconhecimento Nacional (NRO) tenha sido primariamente operada como o Centro de Destacamento 3 de Testes de Voo da Força Aérea (AFFTC Det 3). A AFFTC é sediada na Base da Força Aérea de Edwards, anteriormente campo de Muroc .

É vital para o leitor entender que Silver Bug, Projeto Y e de fato todos os programas de disco que nós agora tomamos conhecimento tiveram fortes ligações com a Força Aérea dos EUA. Na verdade, o Dr.Miethe trabalhou primariamente para a Força Aérea dos EUA e mesmo então ele foi subcontratado da AVRO, possivelmente como uma cobertura para os esforços reais que eram desenvolvidos nos EUA embora o trabalho do projeto fosse realizado no Canadá e a maioria dos testes de voo fossem dentro das fronteiras americanas. Tendo dito que houve uma menção dos discos canadenses feita por vários artigos de jornais e livros no início dos anos 50.

Até mesmo Donald Keyhoe se refere a uma conversa com uma fonte informada sobre a matéria em seu populista Flying Saucers From Outer Space (1953). Mais interessante foi um artigo apresentado pela revista Look de 14 de junho de 1955 (Volume 19) que apresentava o estudo de um projeto de um disco voador produzido por Thomas Turner, um engenheiro brit6anico aeronáutico da Republic Aviation Corporation. Parece que Turner pode ter tido algum conhecimento do Silver Bug já que a sua proposta era quase exatamente a mesma da aeronave da ATIC. Além disso a proposta de Turner inclui o uso do Efeito Coanda e a colocação de um piloto na posição prona para permitir uma alta aceleração e voltas rápidas. AMBOS PROJETOS PARECEM VIR DE UM ENTENDIMENTO DOS PROJETOS ALEMÃES QUE OS CÉTICOS NEGAM EXISTIR. Outras características notáveis do artigo incluem o uso da linguagem, por exemplo, o seguinte que nos lembrará da introdução do projeto Silver Bug :

“Futuros aeroportos construídos para discos voadores de elevação vertical não teriam necessidade das longas e vulneráveis pistas que as aeronaves de hoje exigem. A operação completa poderia acontecer subterraneamente. Túneis com cabos de decolagem colocados no solo, completados com baias de manutenção, combustíveis e alojamentos de disco. Os cabos seriam selados depois da decolagem para camuflagem e proteção. “

Isto soa como a necessidade para as dispersas bases de operação discutidas no documento Silver Bug . Eu agora sugiro que tenhamos uma possível fonte primária para a insistência de Renato Vesco que as bases de discos voadores estavam situadas nas regiões selvagens do Canadá, em uma área remota de British Columbia. Uma  imagem de uma base tal é mostrada no artigo e reproduzida neste relatório. A qualidade não é boa. O artigo citou o General Brigadeiro Benjamin Kelsey (Vice Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Força Aérea] que comentou que uma dos maiores problemas para pistas mais longas para os caças modernos e como elas eram vulneráveis e podiam ser destruídas através de uma simples leva de um ataque inimigo. Daí a necessidade de operações VTOL .

O artigo acima incluído é da máxima importância: em meados de 1950, ao mesmo tempo em que a CIA e a Força Aérea estavam tentando acabar com a significância dos relatos de discos voadores e de Ovnis, há evidência substancial que sugere que as equipes de projetos estavam testando protótipos de discos voadores. Embora tenha sido difícil descobrir sobre a realidade ou não de uma instalação de teste de disco distinta em Papoose Lake dentro da Area 51, Bill Rose recebeu a informação de que este era o QG para a maioria dos testes de protótipos e que vários acidentes e impactos foram resultantes do uso inicial dos motores de fluxo radial.

Mais recentemente, a insólita história do arqueologista e historiador Jerry Freeman emergiu em uma série de artigos publicados no bem conhecido jornal Sun de Las Vegas . Simplesmente declarado, Freeman queria encontrar a evidência de um vagão pioneiro de trem do século XIX que se sabia perdido há 49 anos. Infelizmente para ele, e para a história, os restos deste vagão ficam dentro das fronteiras da Área 51! Sem se deter, Freeman decidiu continuar em uma expedição par esta “zona crepuscular” e dentro de uns poucos dias chegou ao Papoose Dry Lake.

Ele viu um veículo de segurança exatamente no mesmo lugar onde as declaradas instalações ocultas da S4 se localizam e também ele viu algum tipo de porta se abrir na face da rocha. É possível que sistemas eletrogravíticos tenham sido testados nas instalações de Papoose e Groom Lake .

Pode ser sensível, a este ponto, ressaltar a existência de vários textos em questão sobre os futuros sistemas de propulsão dos discos voadores, escritos durante os anos da década de 1950. Um destes, intitulado “Electrogravitics Systems” menciona um projeto de pesquisa chamado Projeto Winterhaven, realizado em 1952 para convalidar o Efeito de Thomas Townsend Brown Biefeld-Brown.

O relatório em questão se faz uma leitura fascinante e afirma que: usando várias presunções sobre a natureza da gravidade, o relatório postulou um disco como as bases de um possível interceptador com uma capacidade de Mach 3. A criação de um sistema gravitacional local daria ao caça mudanças nas bordas agudas de movimento típicas no espaço.

E que: Glenn Martin disse que o controle da gravidade poderia ser obtido em seis anos, mas eles acrescentaram que isto envolveria um esforço do tipo de Manhattan District. O leitor talvez não esteja surpreso ao saber novamente isto, mas este relatório ficou suprimido do público durante 35 anos pelos Laboratórios da Força Aérea em ..Wright Patterson AFB! Ele foi desclassificado e se tornou disponível na Technical Library no início da década de 1990s.

Seja qual for a verdade final sobre este assunto, nós temos nos esforçado bastante ao estabelecer que os discos voadores cresceram em projetos distintos e separados alemães e americanos que começaram na Segunda Guerra Mundial. Relativamente primitivos, os discos alemães devem ter sido desenvolvidos parcialmente, por causa do fracasso da Luftwaffe em defender os campos aéreos do Eixo do bombardeio aliado e daí a resultante necessidade da operação VTOL. O V173 que se tornou o XF5U1 e mais tarde a “panqueca voadora a jato” nasceu de uma requisição da Marinha dos EUA de uma aeronave STOL. Então porque o segredo?

Um número de respostas simples aparece: inicialmente o motor de fluxo radial é ainda hoje avançado. Permite o voo supersônico e a tremenda performance VTOL. Uma tecnologia de propulsão revolucionária, eletrostática, pode ameaçar o “status quo” econômico . Uma asa circular oferece uma boa capacidade stealth e uma efetiva capacidade de lidar com as baixas velocidades. Segundo a documentação do Silver Bug, o fluxo radial permite a uma aeronave realizar uma variação de manobras oscilantes inclusive o voo agudo, uma característica notada em numerosos avistamentos de discos/UFO.  Parece que se mesmo as histórias mais avançadas dos discos voadores são para serem acreditadas, então, estas naves tem sido primariamente usadas como veículos de reconhecimento de alta performance.

Os efeitos psicológicos de ver um disco voador somente podem ser aumentados se isto é desconhecido pelo observador, uma aeronave que não aparece em nada mais do que o núcleo das matérias de ficção sobre os aterrorizantes contatos imediatos com aliens que foi muito bem lembrado como um produto da ficção científica e não da ciência, de fato.  Nunca se esqueça do memorando da CIA, do Director Walter B.Smith, que circulou em 1952 onde ele ressaltava o uso possível de discos voadores para propósitos de guerra psicológica.

Há também toda a questão não resolvida, a questão política do transporte em massa dos cientistas nazistas e de suas famílias, alguns com registros do tempo de guerra extremamente duvidosos, para os EUA sob o programa secreto Paperclip . Embora a existência de Paperclip fosse conhecida no início do pós-guerra os atuais detalhes chocantes dos tratos entre os vitoriosos e os derrotados levaram a uma grande preocupação principalmente com aqueles que sobreviveram aos horrores dos campos de concentração e/ou trabalho forçado sob a ocupação alemã.

Hitler, Armas Secretas e os OVNIS alemães.
(Clique na Imagem para Amplia-la)

Embora Paperclip possa ter resultado em avanços tecnológicos, a posição moral é certamente uma questão em aberto.  Parece que os soviéticos podem ter tido seus discos voadores também e indubitavelmente mais está por emergir dos arquivos de lá. Como um resultado, indubitavelmente os EUA tenha estado preocupado em construir a aeronave similar e competitiva que foi o Silver Bug. Uma vez mais, este trabalho soviético teria sido baseado na tecnologia alemã, não alien, recuperada, e tem havido algumas sugestões de que de fato os soviéticos desenvolveram discos voadores. O Projeto 1947, de Jan Aldrich tem conseguido reunir informação sobre os avistamentos iniciais e relatos iniciais da mídia sobre os discos voadores. Um destes relatórios pode ter sido originado do Projeto Wringer, um esforço do pós guerra que realizou entrevistas com pessoal militar, industrial e outros dos antigos países do Eixo, Prisioneiros de Guerra mantidos na União Soviética e em outros países do Bloco Oriental ou pessoas deslocadas com informação militar ou de inteligência. Jan Aldrich encontrou o seguinte relatório ainda sobre a pesquisa realizada nos Arquivos Nacionais dos EUA:

10. SOURCE: EP 134892, Rpt. No. 5418-47758 datado de 19 de janeiro de 1954. Data da observação : maio de 1953. Preâmbulo: Durante sua internação no campo de Prisioneiros de Guerra #1 em STALINGRAD (48/42N 44/30E) FONTE ????? alguns ???? de interesse geral e ??? supostamente observados um par de discos voadores. A fonte estava internada no campo. Ele entendia um pouco de russo.

Discos Voadores : FONTE enfatizou que ele nunca tinha visto ou ouvido nada sobre os discos voadores antes que ele observasse dois deles em uma sombria manhã em Stalingrad em maio de 1953 quando ele estava de guarda dentro do campo. Ele os observou em uma alta altitude voando rápido em uma direção, um seguindo o outro. Ele pensou que eles tivessem algo a ver com a pesquisa científica da Rússia e se esqueceu sobre isto até que voltou para casa em outubro de 1953 e viu projetos de discos voadores nas revistas européias ocidentais. Ele não pode fornecer detalhes posteriores. and saw designs of flying saucers in West European magazines.

Hitler, Armas Secretas e os OVNIS alemães.
(Clique na Imagem para Amplia-la)

É difícil saber o que fazer destes relatórios exceto para ressaltar que eles eram considerados muito seriamente pelos operadores de dentro da comunidade de inteligência. De fato, toda a evidência que nós temos, algumas delas sendo incluída em meu livro a ser publicado chamado de Ovni Revelation, é que no início dos anos de 1950 houve uma reorientação do pensamento relativo aos avistamentos dos discos voadores embora a CIA, particularmente, escolhesse se concentrar em atacar a veracidade dos relatos sobre os discos voadores ao colocar em dúvida a credibilidade das testemunhas. Ao mesmo tempo, a Agência sabia, como Haines admite, que os protótipos dos discos estavam sob construção. O estudo de muitos documentos da CIA que foram disponibilizados por meio das solicitações do FOIA indicam que a CIA estava enganando o público. A Agência freqüentemente dirige estas solicitações de informação sobre avistamentos de discos voadores para o Centro de Inteligência Técnica Aérea (ATIC) na Base da Força Aérea de Wright-Patterson .

Ainda que tanto a Agência quanto a ATIC tenham afirmado serem incapazes de determinar a origem dos discos voadores , o ATIC/WADC estiveram trabalhando com o Silver Bug, e talvez mais paralelamente. Além disto, o Projeto Grudge tinha recentemente sido desativado (Março de 1952) e reprojetado como Blue Book e tinha a sua sede em .. Base da Força Aérea de Wright-Patterson !!. De qualquer maneira, os investiga-dores do Blue Book foram incapazes de explicar aproximadamente 701 dos 12.918 avistamentos investigados por eles. O Projeto Blue Book foi da decadência dos anos de 1950 até o estágio onde havia apenas um punhado de pessoal trabalhando nos avistamentos UFO.

De fato, segundo David Jacobs, a decadência ocorreu depois de setembro 1953 e foi passo a passo com o Regulamento 200-2 da Força Aérea que afirmava que os Comandantes das Bases locais da Força Aérea somente poderiam discutir os avistamentos se eles tivessem sido resolvidos e que qualquer outros deveriam ser classificados. Jacobs também ressalta que em fevereiro de 1955 (Silver Bug foi liberado de ATIC-WADC em 15 de fevereiro ) foi de relevância porque o ATIC pode explicar muitos dos avistamentos como possíveis e não deixar casos não resolvidos.

O relatório Especial do Projeto Blue Book Número 14 , datado de 05 de maio de 1955 e divulgado em outubro determinou que ; “Com base neste estudo determinamos que nenhum objeto como estes descritos como discos voadores tem sobrevoado os EUA.”  Agora nós sabemos que isto era uma mentira: Os oficiais da CIA sabiam que britânicos e canadenses já estavam experimentando com discos voadores. O Projeto Y foi uma operação de desenvolvimento Canadense/Britânico/Americano para produzir uma aeronave não convencional tipo disco voador, e os oficiais da Agência temiam que os soviéticos estivessem testando aparelhos similares.

A decadência e a desilusão dos relatos Ovnis era deliberada e aconteceu exatamente ao mesmo tempo em que os EUA estavam trabalhando com discos voadores avançados. Uma vez que se estabeleça e compreenda isto, as atitudes oficiais em relação aos avistamentos Ovni passam a fazer mais sentido. O segredo, e talvez até mesmo a paranoia, parece ter dominado a comunidade de inteligência e a Força Aérea dos EUA. Mesmo agora, aproximadamente 45 anos depois do teste de voo do Silver Bug, os trabalhadores deste projeto permanecem de boca fechada. Apenas podemos concluir que o silêncio neste caso indica particularmente tecnologias avançadas e a necessidade de manter uma cortina sobre os detalhes relacionados a elas.  Poderíamos facilmente discutir a questão do desenvolvimento e da desilusão dos discos voadores ter sido realizado na Base da Força Aérea Wright-Patterson e seria de se esperar que este documento encorajasse as pessoas com informação sobre os projetos de discos voadores dos EUA a se apresentarem.

Fica a cargo dos pesquisadores UFO reorientar seu pensamento para chegar a termos com a realidade dos discos voadores de origem terrestre e a ainda em andamento cobertura quanto a isto.

O “caso” a favor dos discos voadores de origem terrestre é ainda mais forte do que até mesmo as evidências para os discos voadores aliens que é inteiramente insustentável. Temos aqui introduzido uma nova linha de pesquisa e uma nova perspectiva sobre a realidade UFO . Além das afirmações fantásticas e da mistificação dos Ovnis por tantos pesquisadores a dolorosa verdade sobre os discos voadores é que eles de fato foram e são uma tremenda aquisição tecnológica. A verdade é que uma pesquisa séria existe somente além da desafortunada dialética cético-crentes. Certamente será no complexo industrial militar e não nos céus que devemos procurar as origens dos discos voadores

UMA INTERESSANTE REVISÃO DO CENÁRIO DOS ONIS ALEMÃES

Um breve sumário do artigo abaixo, os Ovnis alemães criaram seu próprio campo de gravidade com pouca resistência relativa a gravidade da Terra. A física de um tal campo de gravidade em separado é a de que quando a inércia é criada por uma arma/foguete/etc, então a nave será propelida na direção oposta fazendo com que o projétil perca velocidade. Leia os parágrafos 11 e 12 para melhores exemplos e explicações. Isto pode ser o porque os foo fighters nunca atacaram os pilotos do Pacífico e tudo o que eles faziam era perseguir os pilotos com sobrevoos  próximos.

De http://www.sumeria.com/  Os Ovnis São Nossos:  Os sistemas de Armas Não Inerciais e Star Wars  Copyright© 1993 do 99th Monkey  a.k.a. R. Louis Richards, Hs.D.

Anos atrás comecei a me aprofundar no fenômeno UFO, NICAP, MUFON, pesquisadores independentes etc. Eu anteriormente tinha uma imagem de um acobertamento, até encontrar uma organização cujo trabalho eu em sua maioria respeitei nos anos posteriores, a CAUS (Citizens Against UFO Secrecy). O trabalho do FOIA que eles apresentaram em seu livro “Clear Intent” foi de grande valor para mim, especialmente por causa de um obscuro arquivo do FBI que eles encontraram em Michigan.  Eu já tinha vindo a acreditar que o Third Reich tinha sido a origem no mínimo de alguns componentes do atual fenômeno UFO. Este relatório do FBI estabeleceu isto. Nás páginas 177 e 78 de “UFO Cover-up” (como Clear Intent agora foi reintitulado), há uma narrativa de uma testemunha ocular que foi corroborada por avaliações da imprensa alemã, que eu possuo. Os nazistas tinham discos voadores em 1944! J. Edgar Hoover estava mantendo tudo isto totalmente fora do conhecimento oficial e, acredite-me, ele sabia que alguma coisa estava acontecendo e queria isto. Falando de uma forma geral, o FBI teve as portas fechadas para eles pela NSA via a Força Aérrea dos EUA e a CIA.

Mas era o Escritório de Inteligência Naval [ONI] que tinha reinado como a primeira agência de inteligência nos EUA e continuava com a aprovação do Ato de Segurança Nacional em 1947. Mas porque o ONI? Porque naquele ano, o primeiro Conselheiro de Segurança Nacional era um Almirante. Eles sempre haviam estado nos assentos da direção do estado de segurança nacional. Olhe as cordas de marionete e você descobrirá uma grande faixa de ouro na manga dos manipuladores.

Viktor Schauberger, um couteiro austríaco, sem nenhum diploma em ciência, tinha sido o inventor inicial dos Ovnis alemães em Vienna, em 1940. Muitos engenheiros tinham estado neste projeto, mas os aliados , não tendo nenhum conhecimento sobre com o que eles estavam lidando, deixaram Schauberger se esgueirar enquanto eles pegavam os engenheiros nucleares e de foguetes que trabalhavam para a Alemanha nazista. Um,a questão que penso deva ser abordada é que a organização de espionagem dos nazistas, dirigida pelo General Rienhard Gehlen é sabidamente conhecido ter orientado o nascimento da CIA em 1947. Porque? Seu produto eram os segredos. Você pensa que eles estavam apressados em negociar as suas mercadorias exatamente com um governo que os tinha derrotado?

Então, quando o governo dos EUA teve o acesso? Aparentemente, em 1947, todo o inferno ficou fora de controle com a queda de um disco em Roswell, N.M. O físico nuclear , Stanton T. Freidman, e a CAUS tem pesquisado este evento e o reconstruído em grandes detalhes. Não estou certo se o desenvolvimento do disco alemão fosse muito conhecido por aqui até o início dos anos 50. Algumas vezes no início dos anos 50, o MISC (este é o meu acrônimo pessoal para o complexo militar industrial] em um programa conjunto dos EUA/Canadá estava desenvolvendo o Avrocar, um avião em forma de disco que supostamente nunca funcionou. O Avrocar tem uma lecve semelhança com o caça Stealth .

Porque, no final dos anos 70, quando o Presidente Carter acidentalmente tirou “da sacola o gato” Stealth – e enfrentou um inferno, era apenas o Stealth mostrado como o bombardeiro B2? Os caças Stealth permaneceram discretamente como o maior segredo da aviação militar. Mais sobre o caça Stealth depois.

Quando virtualmente cada cientista que não estava envolvido em projetos relacionados a Star Wars, ou não eram relacionados ao Dr.s Nukemnow ou Teller, jurava que uma defesa de misseis não poderia, possivelmente funcionar, e sobretudo, quando o “Império do Mal” [“Evil Empire” ] virtualmente havia se evaporado, porque o governo colocou mais e mais dinheiro nesta porcaria? Eu suspeito que Star Wars mascarasse algo muito mais amplo, sistemas de envio de armas secretas baseados em princípios balísticos e propulsivos revolucionários e altamente não convencionais. A razão pela qual nós, cidadãos seriamos informados de tais sistemas é que assim nós concordaríamos em pagar esta conta.

Nem tudo isto é, com certeza, simplesmente deduçao, mas a dedução é baseada no entendimento das tecnicidades da geração da gravidade como empregadas neste tipo de aparelhos. Você vê, Hitler tinha esta tecnologia mas não “chutou nossos traseiros” com ela. Porque? Pela mesma razão que os EUA am com ela o mundo a muito tempo atrás. A tecnologia não tem facilmente permitido que ela própria seja empregada em um sistema de envio de armas. Eu explicarei.

Um disco voador não voa da forma que é relatada como voar geralmente conhecida por nós. Ele literalmente é uma levitação gravitacional causada pela geração de um campo gravitacional que é secundário e reativo ao campo gravitacional da Terra. O truque é que os campos de gravidade se repelem por causa da configuração do campo delas quando se relaciona a polaridade. Não fique frenético, isto é mais simples que parece. Como a maioria de nós sabe, um campo magnético é desenvolvido ao redor de uma linha entre os polos norte e sul. Entreetanto, um emprego do campo de gravidade é geralmente esférico e apresenta um polo de sua força para fora e o outro para dentro. Em um campo de gravidade, os polos para fora são como os poolos, e então eles se repelem.

A força reativa é similar aquela dos polos de dois magnetos como são usados nos “trens” de levitação magnética. Porque eles são “trens” maglev ainda mais rápidos que os trens? Frição, ou ainda mais provavelmente, a falta dela. Em um ambiente mais leve de voo aéreo tal como o de um zepelim, o arrastar [drag] é imenso e assim eles são vagarosos. No caso do disco, o ar não cria a resistência ao movimento porque o disco é gravlev e o campo magnético da nave chama a atmosfera vizinha como sua própria. Você alguma vez jogou hockey aéreo? Se você já o fez, então você pode compreender que tipo de lubrificante aéreo pode estar sob as condições apropriadas. O que sabemos das avaliações dos relatos das testemunhas UFO que tem sido oficialmente negados ou pobremente explicados é que os discos se comportam de modos muito estranhos e impressionantes. Os Ovnis podem acelerar e fazer voltas angulares e reversões de direção instantaneamente e em velocidades extremamente altas. Qualquer físico pode falar a você que a inércia mataria qualquer pessoa nesta situação. A única coisa que eles não dizem a você é a real natureza desta situação.

Inércia é o relacionamento entre a massa e um campo de gravidade, ou você pode ver isto como uma massa em relação com as linhas imaginárias de campo de força G. Abordo de um disco, digamos, no assento do motorista ou em uma mesa na sala de estar, há apenas um relacionamento estático no espaço entre o piloto e os passageiros e o campo gerador de gravidade da nave. Em outras palavras, se eles não se movimentam em relação a nave, eles não atravessarão aos linhas do campo G da nave. A aceleração é mudanças da direção da nave são feitas pela aplicação de um empurrão [thrust] externo. Enquanto isso, dentro do disco, escudados dos campos G do exterior (i.e. da Terra) , os passageiros e os pilotos sentam-se em uum campo relativamente imóvel. Eles fazem manobras selvagens emrelação a Terra e o café em suas xícaras nem mesmo derrama.

E isto finalmente nos leva de volta a Star Wars. Porque os meninos de Hitler não fizeram isto funcionar? Pense em um disco como um planeta. Um planeta pequenininho, tendo um campo de gravidade exatamente como os grandes planetas. Ok? E então, nós queremos ir bombardear Londres. Nós pegamos uma bomba e decolamos para Jolly Ol’… Uma vez estejamos em cima do alvo, descarregamos a bomba. Nada acontece – esta coisa danada fica engasgada no disco! Oh, está bem. Estamos gerando gravidade e a nossa bomba não pode cair porque é mantida pelo campo de gravidade da nave. Entendamos que a nossa nave pode metralha-las [ temos metralhadoras em nossa nave também]. Bem, ok, estamos nos aproximando da Torre de Londres. É agora! Fogo! De repente estamos indo para trás, perto da velocidade do focinho de uma metralhadora de calibre 50. UAU, estas armas criam um grande recuo e a nossa nave está operando sem uma inércia relativa à Terra, e estamos relativa e efetivamente sem peso; e assim saímos na direção oposta das balas que estão caindo inofensivas no Tâmisa.

Mas que diabo! Deixe-nos disparar um foguete. O empurrão do foguete fira ao redor, fora do controle. Oh, sim, os foguetes devem produzir o empurrão para escapar do nosso campo G da nave. Este é então o dilema de Hitler: ele tinha adquirido esta grande nova tecnologia mas, ironicamente, ela não iria matar ninguém. Não importa se ele se matou, se você acreditra mesmo na história de propaganda americano/britânica. Você pode imaginar como ficaria mal se Hitler pudesse ter escapado, como Hussein? Quadaffi? ou Nixon???

OK, Star Wars. O que é que o governo está fazendo, realizando todos estes testes nucleares no deserto de Nevada ? Eles estão usando os pulsos de energia para as explosões dos testes de energia de lasers de raios-x, raios de partículas, e vários tipos de raios da morte, supostamente para abater mísseis. Muito disto é sabido. Mas aqui está o acobertamento: todas estas armas em desenvolvimento tem algo em comum. Todas elas são armas não inerciais. Isto significada que elas não fazem destruição sem criar o empurrão. Depois de quase cinqüenta anos, temos no mínimo sistemas de armas que são compatíveis com aparelhos de levitação de gravidade ou discos voadores.

Uma plataforma de geração de gravidade ou disco voador pode agora ser armada. O que você pensa que a União Soviética teria feito , militar e politicamente, se eles pensassem que estavam perdendo a corrida destes sistemas de armas? A propósito, os soviéticos e os EUA dividiram os engenheiros alemães que desenvolveram a “turbina de implosão geradora de gravidade”. Porque você supõe que em todos os governos de Breshnev a Gorby, havia uma tal oposição veemente a que nosso governo continuasse buscando estes sistemas de armas Star Wars ?

De volta ao gerador de gravidade, o que necessita ser mantido em segredo é a natureza da energia que eles criam. A fonte de energia não é combustível em nenhum dos sentidos que nós entendemos isto. Todos os nossos atuais sistemas geradores de energia requerem de alguma forma uma pressão para funcionar. Isto geralmente é obtido pela queima de alguma coisa para gerar e manter a pressao, a explosão de alguma coisa para criar a pressão explosiva, ou o bloqueio de um curso de água para criar a pressão principal. Todos estes sistemas são devastadores para os sistemas naturais. Estranho, não é verdade? Não há modo de obtermos uma grande energia que seja compatível com a natureza.

Viktor Schauberger, um ambientalista de muito tempo e fundador do the Green Front em 1951, deu inicialmente a sua máquina de implosão o nome de ” turbina truta”. Seu projeto foi inspirado pela truta da montanha que ele observou em seu longo estudo sobre os modos de sistemas não perturbados naturais. A Vida Aquática foi o seu foco. O que ele descobriu conduziu ao estabelecimento da energia demonstrada em um tornado, tecnicamente, o vórtice centrípeto ou de sução. E assim o que ele podia considerar como sendo o combustível nestes aparelhos era exatamente fluidos como a água ou o ar. Mas aparentemente qualquer líquido ou gás pode ser usado e eu não quero dizer combustão. Exatamente a energia de rodamoinho quando os fluidos se resfriam e contraem, ou como Schauberger chamou isto, implodem. Sobretudo, depois que a água ou o ar tenha sido submetido a este movimento, sua qualidade biológica foi aprimorada.

A energia de implosão é de todas formas oposta a energia de explosão! E sob todos os ângulos, o MISC tinha suprimido esta tecnologia do Departamento de Ofensa ou de um ponto de vista militar, eles tem investido tempo demais, pesquisa, intriga e atos criminosos para fazer isto corretamente. Da perspectiva industrial isto potencialmente é um desastre total. A energia livre de uma simples máquina não pode ser subtraída das massas e haveria então ramificações que ainda nós nem bem avaliamos. Com energia livre, cada pessoa teria a capacidade de crescer por sua conta, fazer seu próprio interesse, se movimentar a vontade e se manter. Dê uma examinada na Bolsa de Ações de Nova Iork e ache uma companhia que daria boas vindas a uma tecnologia destas. Será que os acionistas e os executivos não atuariam em seus próprios melhores interesses?

 

Segunda Guerra Mundial – OVNIS Nazistas

 

PARTE 3

Fonte: O Arquivo
Editado por: Arquivo X do Brasil

 

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: