)

fev 05 2017

Hitler, Armas Secretas e os OVNIS alemães – A História Oculta [Parte 4]

Hitler, Armas Secretas e os OVNIS alemães.
(Clique na Imagem para Amplia-la)

De onde vem esta energia, que passa pela ruptura? Teoricamente, ela tem origem em uma constelação de natureza extraterrestre, chamada Taurus, cuja estrela mais brilhante é Aldebaran. Seguramente esta energia exerce sua influência até hoje, embora também haja a invasão benéfica de outras influências extraterrestres, como a de Sirius e de Andrômeda, e então esta energia singular e até agora dominante, provavelmente diminuirá sua força. No entanto, até lá a Alemanha continuará sendo uma potência mundial. Antes de encerrar, voltemos um instante para a II Guerra Mundial e para um pouco antes. Duas forças, esotéricas por natureza, que exerceram influência direta e poderosa sobre o Terceiro Reich e Hitler

foram as sociedades Viril e Thule. Cada uma delas exerceu grande influência sobre Hitler e sobre o “crème de la crème” do Terceiro Reich. Elas, também, juntamente com Aldebaran, exerceram grande influência no desenvolvimento da tecnologia e nos projetos dos discos voadores de Hitler.

Para encerrar, gostaria de explicar as conclusões a que cheguei sobre o Terceiro Reich, da Antártica, fez essa inexplicável mudança ou transformação , do mal para o bem. A Antártica é conhecida pelos povos nórdicos como uma das duas entradas para a Terra Oca. Vejam que eu disse “Terra Oca” e não interior da Terra. A Terra oca é o buraco interior do nosso planeta. Ele abriga civilizações muito mais desenvolvidas e benignas que nossa civilização exterior. É um mundo de liberdade – libertação do estresse, da competitividade, da preocupação, do medo, da fome e da doença. É um depósito de tudo que é benevolente e pacífico, repleto de amor e solidariedade.

Hitler, Armas Secretas e os OVNIS alemães.
(Clique na Imagem para Amplia-la)

Lavando-se em conta o que acabei de dizer, mi-nha opinião é que os membros do Terceiro Reich entraram em contato com as entidade da Terra Oca e foram persuadidos a mudar sua consciência e forma de pensar, transformando-as em algo mais construtivo e benevolente. Talvez alguns membros bastante inflexíveis desse Terceiro Reich tenham resistido, mas a semente da insatisfação germinava. Final-mente, os membros que resistiram ao altruísmo, influenciados pela Terra Oca, mudaram sua forma de pensar e buscaram o caminho da benevolência. Graças a Deus o fizeram. Certamente a geração posterior estava de acordo com a filosofia da Terra Oca. Finalmente, quando eles herdaram a estrutura do Terceiro ou Quarto Reich , transformaram-no no que é hoje. Esta teoria não é tão absurda, visto que há registros que os descendentes dos Illuminati (o governo secreto), que dominaram a humanidade por tanto tempo, também abandonaram a filosofia de seus antepassados e agora buscam o caminho espiritual.

Isso nos leva a outro ponto. Não pensem que os nossos jovens são decadentes, imorais e sem objetivos. Isto simplesmente não é verdade. Existem, é claro, aqueles que recebem mais e injustificada atenção que a média, mas eles não representam a juventude com um todo. Devido à nossa grande dificuldade para assimilar o que é novo, o que nos leva a sermos negativos, prestamos pouca ou nenhuma atenção aos jovens que se dedicam a tornarem-se responsáveis e produtivos, para fazer do mundo um lugar melhor para nascer e crescer. Eles são uma forte e esmagadora maioria entre os jovens. Infelizmente, no entanto, aos olhos da mídia, estes jovens corajosos não são notícia, porque tem perspectivas positivas que se afastam do ponto de vista negativo que, infelizmente , é tramado e destinado a diminuir a conscientização de todos. Vejam os noticiários da televisão, os jornais, as revistas, etc. o que mostram? O sensacionalismo, o macabro e o comportamento decadente de poucos que supostamente representam a aura de toda a juventude. Não é representativo e in-justo com a maioria da juventude e é uma grande mentira.

Espero que este artigo atinja uma boa parte desta juventude que luta e também os depravados, para que sejam sensibilizados e encorajados pelo grupo de jovens que transformam as energias antiquadas do Terceiro Reich, e que hoje são, por causa de sua sabedoria e determinação, guias de inspiração de luz e esperança para todos. Para a juventude de todo o mundo, continuem lutando, pois vocês são os futuros líderes do mundo. Boa sorte!

Armas Poderosas e personagens estranhos

Durante a Segunda Grande Guerra (1939/45) o governo nazista investiu fábulas em novas tecnologias para derrotar os rivais. A Alemanha já era bem conhecida pelo projeto próprio de televisão, do carro Volkswagen, dos mísseis, da comunicação de massa, das armas etc. Há muita especulação sobre quais seriam essas armas secretas, mas alguns projetos são bem conhecidos como a bomba atômica (que não foi bem sucedida na Alemanha, porque os cientistas que criaram a bomba na América eram judeus expulsos pelo nazismo), os foguetes e em outro terreno a invisibilidade, viagem no tempo e discos voadores. Neste texto listo os responsáveis pela divulgação do disco-voador nazista (Projekt Saucer):

Guiseppe Belluzzo (25/11/1876 a 21/5/1952)

Belluzzo alegou ao jornal ‘Il Mattino dell’Italia Centrale’ em 27 de março de 1950, que discos voadores para uso militar, foram produzidos a partir de 1942, primeiro na Itália, depois na Alemanha. O projeto italiano, foi supostamente produzido pelos alemães no nordeste da Noruega. A mesma declaração foi reproduzida pelos jornais ‘Il Corriere della Sera’, ‘La Nazione’, e ‘La Gazzetta del Popolo’. Na edição de 29/30 de março de 1950, do ‘Il Corriere d’Informazione’ o General Ranza da Força Aérea Italiana desmentiu a informação. O objeto citado por Belluzzo teria dez metros de largura e seria utilizado para carregar uma bomba atômica. Belluzzo, ex-Ministro da Economia entre 1925 e 1928, era expert em turbinas e escreveu quase 50 livros técnicos.

Rudolph Schreiver

Três depois das declarações de Belluzo, em 30 de março de 1950, Rudolph Schreiver afirmou à revista Der Spiegel em 30 de março de 1950, ter trabalhado nos discos a partir de 1942, que acredita terem caído em mãos norte-americanas. A matéria incluía um diagrama, sem informações técnicas. Em março de 1950, Schreiver trabalhava para as Forças Americanas na Alemanha, entregando cópias dos jornais ‘Stars and Stripes’ nas bases militares.

Richard Miethe

Engenheiro Aeronáutico alemão e ex-coronel, Miethe declarou a France-Soir em 7 de junho de 1952, que ajudou a construir um disco-voador – o V7 – em 1944. Os motores foram encontrados pelos russos em Breslau, no fim da guerra. Ele diz ter comandado um grupo de técnicos do 10º Exército do Reich, a partir de abril de 1943, em Essen, Stettin e Dortmund, onde as pesquisas foram conduzidas. Disse ter trabalho em 6 engenhos, dos quais acredita que os 3, que funcionavam, foram levados pelos russos. Nessa entrevista, ele comenta sobre um avistamento de óvni no Brasil na mesma época. Miethe diz que o objeto visto no Brasil poderia ser russo, construído a partir das naves germânicas. Poucos dias antes da Alemanha capitular, Richard Miethe abandonou o front, indo para Addis Abab e para o Cairo, onde alguns oficiais nazistas estavam se reagrupando. Ele diz ter trabalhado no Egito para reconstruir os discos, até ser expulso por causa do fim das relações diplomáticas entre a Alemanha e o Egito, seguindo então para Tel Aviv, em Israel. O óvni de Miethe, aparentemente foi testado no Báltico em 17 de abril de 1944.

 George Klein

Georg Klein, um engenheiro que trabalhou no Ministério de Armamento e Munição de Albert Speer, disse ter sido testemunha do teste do disco de Schriever, ou outro similar, perto de Praga em 14 de fevereiro de 1945. Um informe da CIA, de 27 de maio de 1954, relata que “Um jornal alemão – Welt am Sonntag. O nome da matéria é “Erste ‘Flugscheibe’ flog 1945 in Prag” e foi editada em 25 ou 26 de abril de 1953 – publicou recentemente uma entrevista com George Klein, famoso engenheiro alemão e expert em aviação, descrevendo a construção de “discos voadores” ocorrida de 1941 a 1945. Klein afirma que presenciou, em 1945, o primeiro “Disco” pilotado, decolar, atingindo a altitude de 12.400 metros e a velocidade de 2.000 km por hora em três minutos. Miethe desenhou uma nave em forma de disco com 42 metros de diâmetro, que não girava; Habermohl e Schriever, desenharam um grande disco giratório, com uma cabine, no meio, para a tripulação. Quando os soviéticos ocuparam Praga, os alemães destruíram todo o projeto e nada mais se ouviu falar de Habermohl e de seus assistentes.”

Segundo o diário do 8 º Comando Aéreo, o dia 14 de fevereiro de 1945, era um dia nublado e chuvoso, com baixa visibilidade. Impraticável para qualquer teste aéreo.

Klaus Habermohl

O personagem mais misterioso. Não há provas de sua existência, apesar dos depoimentos das pessoas que afirmam terem trabalhado com ele.

Heinrich Fleischner

Heinrich Fleischner, de Dasing, Augsburg da República Federal da Alemanha, foi entrevistado pela revista Neue Presse em 2 de maio de 1980, na época com 76 anos. Fleischner alegou ter sido o consultante técnico no projeto do disco propagado a jato, que foi construído em Peenemunde, – embora outras partes fosse construídas em outras regiões. De acordo com Fleischner, Hermann Goering (o líder nazista) era o patrono da nave, e planejou utilizá-la como “correio”. Ao fim da guerra, a Wehrmacht destruiu a maior parte dos aparelhos. Os documentos que tinham “pouca importância” caíram nas mãos dos russos.

Hermann Klaas

Hermann Klaas, de Muhlheim, ex-Alemanha Ocidental, um bio-técnico especializado em fenômenos aerodinâmicos, afirmou ter trabalhado em vários projetos de discos comandados por controle remoto, durante a Segunda Guerra. O modelo mais tradicional teria quase 2 metros e meio de diâmetro e era impulsionado por motores elétricos, fornecidos pela Luftwaffe. De acordo com Klaas, esses modelos eram similares aos desenvolvidos por Schriever, Haber-mohl, Miethe, e Belluzzo em Bohmen na Tchecoslováquia e Breslau (hoje Wrocklaw na Polônia).

Outros dados: 

Hitler, Armas Secretas e os OVNIS alemães.
(Clique na Imagem para Amplia-la)

“A pesquisa de armas de anti-gravidade foi feita perto de Praga, principalmente por Viktor Schauberger e Richard Miethe. Em 1944, Miethe, em cooperação com os italianos, desenvolveu o enorme V-7 movido a hélio e os pequenos modelos para uma pessoa. O Vril alcançou uma velocidade de 2,900 km/h em testes de vôo. O capitão Hans Kohler desenvolveu o Haunibu 2 com um diâmetro de 25 metros que levava uma tripulação de vôo completa e era impulsionado por um simples motor de eletrogravidade chamado o Conversor de Kohler…” – Len Kasten no livro ‘Atlantis Rising’ O nome de Victor Schauberger consta na lista dos cientistas alemães da Segunda Guerra que entraram nos Estados Unidos, para colaborar com o governo norte-americano, através da operação Paperclip. Segundo o livro “As Sociedades Secretas e seu Poder no Século XX”, de “Jan van Helsing (pseudônimo), de 1998: “Ele trabalhou na doutrina da oscilação, …Digamos mais simplesmente: implosão no lugar de explosão! Por meio … da técnica de implosão penetra-se no domínio da anti-matéria e dissolve-se, assim, a gravidade. Em junho de 1934, Victor Schauberger foi convidado por Hitler e pelos maiores representantes das Sociedades Vril e Thule e trabalhou, daí em diante, em colaboração com eles.”

Em sua edição de fevereiro de 1989, a revista alemã Flugzeug publicou o seguinte relato feito por um funcionário de aviação alemão que, supostamente, teria sido protagonista de um avistamento envolvendo um “disco voador” no aeroporto Prag-Gbell (anteriormente Praha-Kbely) em 1943:

“Local do Avistamento: Escola de Vôo C 14 no aeroporto de Prag-Gbell. Data do Evento Agosto/Setembro 1943, supostamente em um domingo (eu pareço recordar que não havia nenhum serviço naquele dia. O tempo estava bom, seco e ensolarado. Tipo de Observação: “Eu estava com meus camaradas de vôo na pista de vôo, mais precisamente, próximo dos edifícios escolares, a uns 2000 metros do arsenal (situado no extremo esquerdo). O dispositivo estava dentro do hangar: um disco de uns 5-6 metros em diâmetro. Seu corpo é relativamente grande no centro. Abaixo, tinha quatro pernas altas, finas. Cor: Alumínio. Altura: Quase tão alto quanto um homem. Grossura: uns 30 – 40 cm., com uma beirada de anéis externos, talvez orifícios quadrados. A parte superior do corpo (quase um terço da altura total) estava encolhida sobre a metade superior do disco.

Era achatado e arredondado. Junto com meus amigos, eu vi o dispositivo emergir do hangar. Foi então que nós ouvimos o ruído dos motores, nós vimos o lado externo do disco começar a girar, e o veículo começou a se mover lentamente e em uma linha reta para o extremo sul do campo. Subiu então quase 1 metro no ar.

Depois de se mover ao redor de uns 300 metros naquela altitude, parou novamente. Sua aterrissagem foi bastante rude. Nós tivemos que deixar a área enquanto alguns guardas empurravam o veículo para o hangar. Mais tarde, a “coisa” decolou novamente, desta vez conseguindo chegar ao fim do aeroporto. Depois, eu fiz uma nota em meu livro de vôo dos membros do FFS C14 que estavam presentes no momento: Gruppenfluglehrer (instrutor de vôo do grupo) Ofw. Michelsen; Fluglehrer Uffz. Kolh und Buhler; Flugschüler (estudantes de vôo): Ogefr, Klassmann, Kleiner, Müller, Pfaffle, Schenk, Seifert, Seibert, Squarr, Stahn, Weinberger, Zoebele, Gefr, Hering, Koza, Sitzwohl, Voss, e Waluda.”

Armas Secretas do Terceiro Reich

Como a tecnologia bélica nazista ultrapassou barreiras ao tentar implementar as mais perfeitas máquina de guerra, assunto que ainda é motivo de controvérsias em pleno século XXI

Foguetes V2, Tecnologia infravermelha, caças com designs aero-dinâmicos e tanques gigantescos. Esses são meros exemplos das tecnologias criadas por cientistas nazistas durante a Segunda Guerra Mundial, cujas intenções eram a aniquilação rápida dos adversários do 3º Reich e a supremacia militar de um império motivado por ódio e rancor. Os inúmeros inventos dos alemães chegam até espantar cientistas contemporâneos, vão desde os primeiros protótipos de uma tecnologia infra-vermelha a ser utilizada em rifles e veículos, submarinos gigantescos, tanques em pequena escala controladas por controle remoto e aviões com uma aerodinâmica estranhíssima e inovadora para a década de 40 , como os “caças delta” dos irmãos Horten. Parte dessas tecnologias foram usurpadas e roubadas pelos aliados em 1945, cujas intenções eram o roubo de novas tecnologias para um futuro e suposto uso, sem perceberem o mal que tinham em mãos

Para entendermos a febre da evolução bélica, devemos voltar para o século XIX. O ferro e o aço, diferentemente do ouro e de outras commodities dos séculos XVIII e XVII, eram fatores determinantes de um país desenvolvido. Países cujos setores secundários eram altamente evoluídos, superando o setor agrícola em termos de produção, possuíam indústrias siderúrgicas de ponta.

Assim sendo, quando em tempos de paz, a área de pesquisa era totalmente voltada ao setor bélico e afins. Caso que exemplifica a Prússia. Desde a unificação alemã (1862-1870), o país investiu no setor bélico desde o início, por ter uma indústria altamente desenvolvida e sem dependências de capital externo. De 1870 até 1930, a Alemanha Unificada teve um setor bélico de ponta, superando países como França e Inglaterra em termos de quantitatividade de produção.

Hitler, Armas Secretas e os OVNIS alemães.
(Clique na Imagem para Amplia-la)

A Corrida Armamentista da Bélle Époque (1875-1914) foi motivada por diversos fatores, entre eles estava o medo da supremacia alemã em seu exército e a necessidade de armar-se contra uma suposta nova guerra. No caso seria a grande guerra.

A Era dos fascismos (1918-1945) foi o período em que a tecnologia bélica saltou de 2 para 100. A Alemanha arrasada pelo tratado de Versalhes, procurou em pouco tempo pesquisar novas táticas de guerra, empreendimento de novas tecnologias em guerra e uma remilitarização em etapas.

Hitler, Armas Secretas e os OVNIS alemães.
(Clique na Imagem para Amplia-la)

Apesar de estar derrotada, a Alemanha parecia preparar-se para uma “grande revanche” contra os seus rivais da Entente Cordialle.

Em 1933, Adolf Hitler assume o poder, e a partir de então promete que o expansionismo militar era necessário para reconquistar a glória perdida do povo alemão e a supremacia ariana. Estava dada a largada para o incentivo maciço nos setores bélicos.

Hitler sabia que, para ter o maior exército da Europa, seria necessário as melhores tecnologias. Durante a República de Weimar (1919-1933), diversos cientistas e pesquisadores alemães surgiam em cada ponto da Alemanha. Durante essa época, a Física evoluía em exponencial, a Química descobria as forças atômicas e a Biologia tratava da genética.

Hitler, Armas Secretas e os OVNIS alemães.
(Clique na Imagem para Amplia-la)

Exemplos de cientistas famosos foram os irmãos Horten. Os irmãos desenhavam aviões em formas de Delta (Asa-Delta). Seus desenhos consistiam de aviões com uma aerodinâmica bastante incrível.

A brincadeira começou a ficar séria quando eles entraram para a Luftwaffe, força aérea alemã, como projetistas de aviões. A seriedade plena e desenvolvimento de seus vaiões de turbina a jato só começou a ser feita em 1945 com a aprovação de Hermann Goëring (Chefe da Luftwaffe).

Hitler, Armas Secretas e os OVNIS alemães.
(Clique na Imagem para Amplia-la)

Porém, com o fim da guerra, parte dos aviões ficaram abandonados em Hangares e depois roubados pelos americanos. Caso o projeto fosse aceito antes de 45, o destino de algumas batalhas provavelmente seriam outras.

Evolução Cima pra Baixo – Planejamento – Protótipo – Sendo roubada pelos americanos – Projeto Americano do Horten – Avião Stealth Atual com os mesmos desenhos……mera coincidência???

Hitler, Armas Secretas e os OVNIS alemães.
(Clique na Imagem para Amplia-la)

 

Cientistas nazistas (Dublado PT)

 

PARTE 5

Fonte: O Arquivo
Editado por: Arquivo X do Brasil

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 comentários

    • v on 30 de dezembro de 2013 at 9:03 AM
    • Responder

    É MESMO UMA PENA Q OS ALEMÃES TENHAM ‘PERDIDO” A GUERRA, TERIAMOS UM MUNDO MEHOR,COM MAIS PAZ,PROGRRESSO,DESENVOLVIMENTO E RESPEITO.ALGUÉM J[A TINHA FALADO Q ‘O MUNDO Ñ É EXATAMENTE COMO NOS CONTARAM,MUITAS VESES OS PAPÉIS DE MOÇINHOS E BANDIDOS SÃO TROCADOS POR QUEM APARENTEMENTE DETÉM O (PSEUDO) PODER.

    • V on 30 de dezembro de 2013 at 9:14 AM
    • Responder

    É UMA PENA MESMO,Q A ALEMANHA TENHA ‘PERDIDO’ A GUERRA,TERIAMOS UM MUNDO MELHOR,COM MAIS PAZ ,PROGRESSO E DESENVOLVIMENTO E COM RESPEITO.
    OS PAPEIS DE MOCINHOS E BANDIDOS MUITAS VEZES SÃO TROCADOS POR QUEM APARENTEMENTE OCUPA O PODER.

    1. Só pecaram em alguns pontos, querer exterminar os judeus, negros, homossexuais, achavam que a raça ariana era a melhor, se tivessem pensado na humanidade como um todo, hoje eles seriam o modelo a ser seguido.

Deixe uma resposta para JLT Cancelar resposta